Tribunal russo nega habeas corpus a integrante da banda Pussy Riot

sexta-feira, 26 de abril de 2013 20:19 BRT
 

MOSCOU, 26 Abr (Reuters) - Um tribunal russo rejeitou nesta sexta-feira a concessão de habeas corpus a uma artista da banda punk Pussy Riot para que ela pudesse cuidar da sua filha.

Há oito meses, Nadezhda Tolokonnikova foi condenada a dois anos de prisão por ter participado de um protesto da banda contra o presidente russo, Vladimir Putin, na principal catedral ortodoxa de Moscou.

A artista, de 23 anos, cumpre pena por "vandalismo motivado por ódio religioso" em uma colônia penal a cerca de 550 quilômetros da capital.

"Já passei tempo suficiente na colônia prisional. Já chega de estudá-la. Meio ano já é o bastante", disse Tolokonnikova, estudante de filosofia, ao juiz durante a audiência, segundo a agência de notícias jurídicas Rapsi.

Irina Khrunova, advogada da ré, alegou que a filha dela, de cinco anos, precisava dos cuidados da mãe.

Tolokonnikova e duas colegas, Maria Alyokhina e Yekaterina Samutsevich, foram sentenciadas em agosto, após um julgamento amplamente apontado no exterior como sendo parte de uma campanha repressiva de Putin contra dissidentes. Samutsevich foi posteriormente libertada.