Acusados por morte de neto de Malcolm X são presos no México

domingo, 19 de maio de 2013 09:22 BRT
 

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Dois homens acusados de participar do espancamento que causou a morte do neto do ativista norte-americano dos direitos civis Malcolm X foram levados à prisão no sábado para aguardarem por julgamento, afirmou um porta-voz de tribunal na Cidade do México.

David Hernandez e Manuel Perez, garçons da casa noturna Palace, que fica próxima à popular Praça Garibaldi da Cidade do México, enfrentam acusações de assassinato e roubo.

Malcolm Shabazz, que a polícia afirmou que tinha 29 anos de idade, foi morto em 9 de maio na boate depois de uma briga sobre uma conta de mais de 1.200 dólares. Hernandez e Perez tinham sido detidos na segunda-feira.

Shabazz, que foi condenado por homicídio culposo aos 12 anos por ter causado um incêndio que matou sua avó e que foi preso como adulto por tentativa de roubo, estava no México para visitar Miguel Suarez, um ativista de direitos dos imigrantes que recentemente tinha sido deportado dos Estados Unidos.

Malcolm X foi um ativista dos direitos civis e líder do movimento negro muçulmano nos EUA. Ele foi morto a tiros durante um comício em Nova York em 1965.