Em Cannes a celebridade vende; e as celebridades se vendem

segunda-feira, 20 de maio de 2013 13:47 BRT
 

Por Belinda Goldsmith

CANNES, 20 Mai (Reuters) - Os astros do cinema vêm a Cannes para promoverem a si e aos seus projetos. Não haveria, portanto, melhor lugar para lançar um irônico documentário que se queixa do aparente predomínio da fama sobre o conteúdo.

Enquanto as festas, eventos promocionais e sessões de foto correm a todo vapor no mais importante evento comercial do cinema mundial, o diretor James Toback exibiu no domingo "Seduced and Abandoned" ("seduzidos e abandonados"), mostrando como ele e o ator Alec Baldwin conversaram no festival de Cannes do ano passado com diretores, investidores e chefes de estúdio para tentar financiar um filme sem nenhum grande astro.

Eles nunca tiveram a intenção real de fazer filme algum, mas sua trama bem amarrada, sobre um espião e um jornalista no Iraque, acabou não compensando a falta de nomes famosos.

O próprio Baldwin se disfarçou como um mero ator de televisão, e a protagonista feminina, a canadense Neve Campbell (da série "Pânico"), foi descrita como uma artista sem impacto nas bilheterias.

"O dinheiro segue as estrelas", disse Toback no documentário, que foi adquirido pelo canal HBO, da Time Warner.

Além de ser a principal vitrine do cinema mundial, Cannes reúne até 40 mil profissionais para comprar e vender filmes e para buscar financiamentos para projetos, muitos dos quais jamais saem do papel.

Um investidor diz a Toback que nem lê os roteiros, e que decide se vai financiar ou não um projeto com base nos astros envolvidos, já que o marketing de um filme se tornou mais importante do que seu conteúdo.

Não é surpresa, portanto, que gente como Leonardo DiCaprio, Justin Timberlake e Emma Watson, esteja em Cannes não só para promover filmes já prontos, mas também para aproveitar esse espaço e divulgar novos projetos e seduzir distribuidores.   Continuação...

 
Atriz francesa Marion Cotillard posa para fotógrafos durante o dfestival de Cannes, na França. 0/045/2013 REUTERS/Yves Herman