Em Cannes, poodle de Liberace ofusca Michael Douglas e ganha Palma Canina

sexta-feira, 24 de maio de 2013 15:16 BRT
 

Por Alexandria Sage e Rob Lang

CANNES, França, 24 Mai (Reuters) - Um poodle branco com catarata deixou o ator Michael Douglas em segundo plano, nesta sexta-feira, ao ganhar a Palma Canina durante o Festival de Cinema de Cannes.

Críticos presentes ao prestigiado festival francês, realizado na cidade costeira, no Mediterrâneo, podem ter elogiado Douglas por sua interpretação do pianista Liberace, no filme "Atrás do Candelabro", de Steven Soderbergh, mas foi o chamativo cãozinho cego do pianista, "Baby Boy", que conquistou uma premiação.

A cerimônia de entrega da Palma Canina é realizada paralelamente à mostra oficial de cinema, todos os anos, para homenagear o desempenho mais memorável de cães no festival. O nome é uma referência bem-humorada à Palma de Ouro, principal honraria concedida pelo Festival de Cannes.

O organizador, Toby Rose, disse que as plateias ficaram extasiadas com a atuação de "Baby Boy", que, ao ficar doente, numa cena do filme, acaba reaproximando Liberace de seu novo amante.

Talvez o mais famoso cão do cinema nos últimos anos tenha sido "Uggie", o terrier que aparece no filme francês "O Artista", de 2011.

"Nos últimos dois ou três anos vimos uma porção de filmes em que aparecem cachorros, e um número ainda maior dos que põem cães em cena com o propósito de elevar a bilheteria - e eles certamente conseguem isso", comentou Rose.

Na mostra de Cannes deste ano há vários cães em papéis difíceis, incluindo um chihuanhua que interpreta o cãozinho de Paris Hilton, no filme Bling Ring - A Gangue de Hollywood", de Sofia Copola.

Papéis mais dramáticos foram vistos em "Heli", de Amat Escalante, filme em que um cachorro protege uma carga de droga. Mas provavelmente a performance mais impressionante deste ano seja a do gato laranja no filme "Inside Llewyn Davis", dos irmãos Ethan e Joel Coen, no qual um cantor azarado perde o gato de um velho amigo.

"O filme na realidade não tem enredo. Isso nos preocupou até um certo ponto, por esse motivo colocamos o gato. Na verdade, o filme é sobre o gato", brincou Joel Coen antes da première do filme.