Dramas de época se destacam no 10o dia do Festival de Cannes

sexta-feira, 24 de maio de 2013 19:59 BRT
 

CANNES, França, 24 Mai (Reuters) - O debate nos Estados Unidos sobre a imigração encontra ecos em um drama de época que estreou no festival de cinema de Cannes nesta sexta-feira, o qual tem como tema central a história de uma polonesa que chega a Ellis Island, local de entrada dos imigrantes em Nova York, e luta para sobreviver na cidade nos anos 1920.

"A Imigrante" tem no elenco a atriz francesa Marion Cotillard, ganhadora do Oscar, como a imigrante Ewa, que no filme fala polonês e inglês, e os atores Joaquin Phoenix e Jeremy Renner como os dois homens com quem ela se envolve ao ser forçada a se prostituir.

O filme compete com outro drama de época que também estreou nesta sexta-feira, "Michael Kohlhaas", que tem em destaque o dinamarquês Mads Mikkelsen, vencedor da Palma de Ouro de melhor ator no festival do ano passado.

As duas produções estão na disputa da principal premiação do festival, a Palma de Ouro, que será entregue no domingo no encerramento do Festival de Cannes, na Riviera Francesa.

As muitas cenas em Ellis Island, em "A Imigrante", primeiro filme de época do diretor James Gray, e sua quarta participação na principal premiação da mostra de Cannes, demonstra sua simpatia pelas pessoas que buscam fazer a vida na América.

"É um pecado tentar sobreviver?" pergunta Ewa no filme.

O filme está sendo lançado num momento em que o Congresso dos Estados Unidos debate mudanças na lei de imigração, algo que poderá afetar a vida de 11 milhões de imigrantes ilegais no país. Em vista disso, Gray disse a repórteres que as críticas feitas aos italianos e judeus na virada do século passado estão sendo hoje transferidas para os mexicanos.

"Sou descaradamente pró-imigração", afirmou Gray. "Você tem de aceitar o fato de que isso é algo que enriquece a sociedade, não degrada a sociedade, e eu gostaria que nós nos libertássemos do racismo, de preconceito."

A região do Lower East Side, em Nova York, com suas ruas barulhentas, efervescentes, exalando humanidade e repletas de cortiços e bares toscos são retratadas com vivacidade no filme, que recebeu tanto críticas positivas como negativas.   Continuação...

 
A atriz Marion Cotillard acena ao deixar a exibição do filme "The Immigrant", no Festival de Cannes, na França, nesta sexta-feira. 24/05/2013 REUTERS/Eric Gaillard