Médico descreve tentativa de reanimar Gandolfini de "Família Soprano"

quinta-feira, 20 de junho de 2013 16:00 BRT
 

Por Piya Sinha-Roy e Antonio Denti

LOS ANGELES/ROMA, 20 Jun (Reuters) - Médicos italianos lutaram durante 40 minutos para salvar a vida de James Gandolfini, o robusto ator conhecido pelo papel de mafioso no seriado de TV "Família Soprano", antes de pronunciá-lo morto na quarta-feira aos 51 anos de idade.

Gandolfini, cuja interpretação como Tony Soprano fez dele um nome popular e inaugurou uma nova era de drama na televisão americana, estava de férias em Roma e deveria comparecer ao encerramento do Festival de Cinema Taormina, na Sicília, no sábado.

Em Roma, ele foi levado de seu hotel até o hospital Umberto I na noite de quarta-feira, segundo um porta-voz do hospital.

"As manobras de ressuscitação, incluindo massagem cardíaca etc., continuaram por 40 minutos, e então, vendo que não havia atividade elétrica do coração, elas foram interrompidas e nós declaramos James morto", disse o chefe do pronto-socorro, Claudio Modini, à Reuters.

"O paciente chegou morto ao hospital e por essa razão foi pedida uma autópsia que será feita por um patologista, um procedimento normal em nosso país".

A autópsia foi marcada para a manhã de sexta-feira.

Michael Kobold, amigo da família, disse a repórteres que o ator foi encontrado por um parente em seu hotel no centro de Roma depois de ter sofrido um aparente ataque cardíaco.

Desde que "Família Soprano" terminou sua sexta temporada em junho de 2007, Gandolfini apareceu em vários papéis no cinema, inclusive em "A Hora Mais Escura", um filme sobre a caça a Bin Laden, e o drama "O Homem da Máfia".   Continuação...