Angelina Jolie pede ação da ONU sobre estupros em zonas de guerra

segunda-feira, 24 de junho de 2013 16:58 BRT
 

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS, 24 Jun (Reuters) - A atriz Angelina Jolie pediu ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas nesta segunda-feira para abordar os problemas de estupros em zona de guerra como prioridade principal, enquanto ela compartilhava histórias de sobreviventes com quem se encontrou, incluindo uma mãe congolesa cuja filha de 5 anos foi estuprada perto de uma estação de polícia.

A atriz vencedora do Oscar, que é enviada especial para a Agência de Refugiados das Nações Unidas, disse ao Conselho que é preciso enfrentar sua responsabilidade e promover uma liderança "para que estes crimes não aconteçam porque são inerentes à guerra, mas porque o clima global permite".

"As meninas são estupradas e engravidam antes que seus corpos sejam capazes de transportar uma criança", disse ela no debate sobre a violência sexual em conflitos, organizado pela Grã-Bretanha.

Jolie, que visitou os campos de refugiados ao redor do mundo, disse que enquanto havia centenas de milhares de sobreviventes de violência sexual, havia apenas um punhado de processos, porque o mundo não tinha feito desta questão uma prioridade.

 
Enviada especial para a Agência de Refugiados das Nações Unidas, Angelina Jolie, fala durante reunião do Conselho de Segurança da ONU na sede da organização, em Nova York. A atriz pediu ao conselho nesta segunda-feira para abordar os problemas de estupros em zona de guerra como prioridade principal, enquanto ela compartilhava histórias de sobreviventes com quem se encontrou, incluindo uma mãe congolesa cuja filha de 5 anos foi estuprada perto de uma estação de polícia. 24/06/2013 REUTERS/Lucas Jackson