Em julgamento, sobrinho descreve Jackson como humilde e familiar

quinta-feira, 27 de junho de 2013 19:47 BRT
 

Por Dana Feldman

LOS ANGELES, 27 Jun (Reuters) - Um sobrinho de Michael Jackson que é também um dos guardiões dos três filhos do falecido cantor disse em juízo na quinta-feira que o "Rei do Pop" era um homem familiar e humilde, que ajudava os parentes em épocas de necessidades.

T.J. Jackson, de 34 anos, filho de Tito Jackson - que foi, ao lado de Michael, um dos integrantes do conjunto Jackson 5 -, fez uma descrição do lado pessoal do astro durante o julgamento civil sobre a morte dele, ocorrida em 2009, aos 50 anos, em decorrência de uma overdose de medicamentos.

"Ele me mantinha inspirado e ambicioso. Ele simplesmente estava lá comigo", disse T.J., às lágrimas, no tribunal de Los Angeles.

A mãe de Michael Jackson, Katherine, de 83 anos, moveu um processo contra a produtora de shows AEG Live responsabilizando-a por ter sido negligente ao contratar o médico Conrad Murray, sob cujos cuidados o cantor estava ao morrer, enquanto se preparava para uma série de shows.

Murray já foi condenado em 2011 por homicídio culposo, por ter administrado os medicamentos que mataram o cantor. A AEG Live alega que Jackson já era dependente de medicamentos antes de assinar o contrato, e que a empresa não poderia antever que Murray causaria a morte do artista.

T.J. é o segundo parente de Michael Jackson a depor, depois de Prince Jackson, de 16 anos, filho do cantor, que falou na quarta-feira.

Segundo T.J., Michael "era extremamente humilde sobre ser tão famoso", e "era incrível ver o contraste" de como o resto do mundo o tratava.

Ecoando a fala de Prince na véspera, T.J. disse que a morte de Michael afetou particularmente a filha do cantor, Paris, que neste mês foi internada em um hospital após uma aparente tentativa de suicídio.

"A perda do meu tio a atingiu num nível diferente. Ela era a garotinha do papai, meu tio era o mundo dela", afirmou T.J., que é vocalista do grupo de R&B 3T, com dois irmãos seus.

Brian Panish, advogado da família, disse que Paris poderá ser chamada para depor. O relacionamento de Michael Jackson com seus filhos tem sido a tônica dos depoimentos nos últimos dias.