Cantora Carla Bruni anuncia turnê na França e nos EUA

sexta-feira, 28 de junho de 2013 16:48 BRT
 

Por Patricia Reaney

NOVA YORK, 28 Jun (Reuters) - A cantora e compositora Carla Bruni, ex-primeira-dama da França, disse que não sente falta da vida política, não tem medo de envelhecer e está ansiosa para turnês na França e nos Estados Unidos para promover seu mais recente álbum "Little French Songs".

É o quarto álbum da ex-modelo nascida na Itália que começou sua carreira musical em 1997. Seu primeiro trabalho, "Quelqu'un m'a dit" (Alguém Me Disse), foi lançado em 2002 e vendeu 2 milhões de cópias.

Bruni se casou com Nicolas Sarkozy enquanto ele era presidente da França, teve um segundo filho e voltou à vida privada após Sarkozy perder uma reeleição para François Hollande no ano passado.

"(A vida política) foi cheia de coisas interessantes, pessoas interessantes, muito diferentes da vida normal", disse Bruni. "Definitivamente não tenho saudade disso."

Bruni trabalhou em algumas das canções enquanto Sarkozy, que está envolvido em uma investigação sobre o financiamento de partidos que poderia inviabilizar seu retorno à política, ainda estava no cargo, por isso ele não ficou surpreso com a faixa "Mon Raymond" (My Raymond), um nome carinhoso para seu marido.

Bruni descreve a composição como uma canção de amor para Sarkozy, pai de sua filha de 19 meses. Ela também tem um filho que nasceu em 2001. Na letra, ela descreve Raymond como "um material atômico espetacular" e "complexo, romântico, mas táctico".

"Ele encarou bem isso. Acho que ele gostou", disse ela durante uma entrevista à Reuters, em Nova York, nesta semana. "Claro que ser muso de uma canção não é uma posição que um homem normalmente tem, mas é uma música suave."

A cantora de 45 anos escreveu a maioria das 11 faixas do álbum "Little French Songs", que ela descreve como "música popular com um pouco de pop."   Continuação...

 
Cantora Carla Bruni-Sarkozy promove novo album "Little French Songs" em Nova York e fará turnês na França e nos EUA 25/6/2013 REUTERS/Carlo Allegri