Ao estilo pop, 10cc ainda explora lado mais escuro da natureza humana

segunda-feira, 12 de agosto de 2013 14:07 BRT
 

Por Jeremy Gaunt

CROPREDY, Inglaterra, 12 Ago (Reuters) - 10cc, a banda de pop-rock que produziu sucessos como "I'm Not In Love", "Rubber Bullets" e "The Wall Street Shuffle" nos anos 1970, ainda atrai os fãs com suas letras sobre o lado mais sombrio da vida. Mas não espere novas músicas para breve.

O cofundador Graham Gouldman, que está na estrada com a maior parte da atual versão da banda desde 1999, tem plena consciência de que a formação de agora não é a banda original que compôs as faixas mais populares.

Embora a banda tenha dois integrantes que se juntaram ao 10cc nos anos 1970, isso não é o suficiente para Gouldman considerar entrar em um estúdio e gravar um álbum com músicas novas.

Não seria "moral", disse Gouldman à Reuters, dado que os principais coautores do 10cc não estão presentes.

"Somos muito transparentes sobre esse Mark 3 10cc e quem está nele", disse. "Traço uma linha sobre gravar novo material sob o 10cc. É principalmente um instinto de que é errado fazer isso".

Gouldman, no entanto, está feliz em trabalhar com seus antigos e novos colegas em eventos como a Convenção Cropredy de Fairport, na semana passada, um festival na rural Oxfordshire da Inglaterra que mescla o velho e o novo, e que o 10cc foi uma das atrações principais.

"Estou aqui para levar a música do 10cc para as pessoas", disse, antes de subir ao palco para uma apresentação que, para muitos presentes, foi tão nostálgica quanto brilhante.

A música do 10cc é mais complexa do que pode sugerir seu gênero de pop-rock. As harmonias mudam constantemente, assim como os ritmos. Mas são as letras, às vezes quase subversivas, que costumam se destacar.

Muitos dos rapazes com camisas floridas e calças boca-de-sino ou garotas de minissaias e sapatos de salto plataforma nos anos 1970 podem não ter se dado conta de que dançavam ao som de canções que falavam sobre a natureza mais sombria do homem.

"The Wall Street Shuffle", por exemplo, fala sobre a ganância capitalista. Já "Rubber Bullets" é sobre a brutalidade policial.