"O Mordomo" examina questão racial ao longo das décadas nos EUA

terça-feira, 13 de agosto de 2013 20:36 BRT
 

NOVA YORK, 13 Ago (Reuters) - "O Mordomo" começou como uma história de pai e filho em meio ao movimento dos direitos civis nos Estados Unidos, mas acabou se tornando um drama histórico sobre amor, família e igualdade racial.

O filme do diretor Lee Daniels, inspirado na vida do mordomo negro Eugene Allen, que trabalhou na Casa Branca durante os mandatos de oito presidentes norte-americanos, narra as mudanças no cenário político e nas relações raciais entre a década de 1920 e a eleição de Barack Obama, primeiro presidente afroamericano do país, em 2008.

"Foi uma homenagem para o meu filho, para mim e para o meu pai, e então ganhou vida própria, porque comecei a perceber que agora há outras coisas", disse Daniels, indicado ao Oscar em 2009 pelo drama racial "Preciosa - Uma História de Esperança".

O filme traz Forest Whitaker no papel principal e a apresentadora de TV Oprah Winfrey como Gloria, a mulher do mordomo.

(Reportagem de Patricia Reaney)