Mães famosas da Califórnia defendem lei para privacidade infantil

quarta-feira, 14 de agosto de 2013 14:43 BRT
 

SACRAMENTO, Estados Unidos, 14 Ago (Reuters) - Duas mães hollywoodianas, Halle Berry e Jennifer Garner, foram na terça-feira à Assembleia Legislativa da Califórnia para defender um projeto de lei destinado a manter os fotógrafos afastados dos filhos de celebridades, ao aumentar as penas pelo assédio a menores.

Em depoimento comovido, Garner disse a uma comissão parlamentar que ela e seus filhos são seguidos em todos os lugares.

"Quantas vezes você vê uma tragédia acontecer e diz: ‘Ah, havia tantos sinais de alerta, por que ninguém prestou atenção?'", disse Garner, que tem três filhos com o ator Ben Affleck. "Estou pedindo aos senhores, como mãe, para que prestem atenção."

O projeto, já aprovado no Senado estadual, diz respeito a pessoas que perseguem crianças em decorrência da ocupação dos seus pais. A ideia surgiu a partir de uma lei da década de 1990 que buscava impedir que filhos de funcionários de clínicas médicas fossem ser importunados por ativistas antiaborto.

O projeto eleva de seis meses para um ano a pena máxima para esse tipo de comportamento, e aumenta a possível multa de mil para 10 mil dólares.

"O que essa lei faria seria devolver nossos direitos para podermos proteger nossos filhos", disse Berry em depoimento exibido por uma TV do Estado.

Alguns meios de comunicação se opõem ao projeto, alegando que ele restringirá a apuração de notícias.

(Reportagem de Sharon Bernstein)

 
Atriz norte-americana Halle Berry é vista em março durante estréia de filme em Los Angeles. Duas mães hollywoodianas, Halle Berry e Jennifer Garner, foram na terça-feira à Assembleia Legislativa da Califórnia para defender um projeto de lei destinado a manter os fotógrafos afastados dos filhos de celebridades, ao aumentar as penas pelo assédio a menores. 15/03/2013 REUTERS/Mario Anzuoni