20 de Agosto de 2013 / às 14:44 / 4 anos atrás

Escritor norte-americano Elmore Leonard morre aos 87 anos

O escritor norte-americano Elmore Leonard, que com seus diálogos ásperos e realistas deu vida a malandros, policiais e caubóis em quase 50 romances, morreu nesta terça-feira. Na foto, ele aparece durante premiação em Nova York, em 23 de maio de 2011. REUTERS/Lucas Jackson

NOVA YORK, 20 Ago (Reuters) - O escritor norte-americano Elmore Leonard, que com seus diálogos ásperos e realistas deu vida a malandros, policiais e caubóis em quase 50 romances, morreu nesta terça-feira aos 87 anos, semanas depois de sofrer um derrame, segundo nota divulgada em seu site oficial.

“Elmore morreu nesta manhã às 7h15 em casa, rodeado por sua amada família”, de acordo o anúncio.

Leonard, que largou um emprego como publicitário na década de 1950 para se dedicar aos romances --primeiro de faroeste, depois policiais e de suspense-- estava doente desde 29 de julho.

Seu primeiro grande sucesso comercial foi “Glitz”, de 1985. Os livros seguintes, incluindo “Get Shorty”, “Out of Sight”, “Killshot”, “Bandits” e “Freaky Deaky”, saíram em intervalos de aproximadamente um ano e meio, e também foram best-sellers.

O 47º livro de Leonard, “Blue Dreams”, tem lançamento previsto para este ano.

“Não tenho nenhuma razão para parar”, disse Leonard à Reuters em 2012. “Ainda gosto de escrever.”

Hollywood tinha afinidade com a obra de Leonard, e mais de 25 livros dele foram transformados em filmes ou programas de TV, começando por “Hombre” (1967), com Paul Newman. O western “3:10 to Yuma” e o romance “The Big Bounce” ganharam duas adaptações cada.

Produtores e atores ficavam tão ansiosos em arrematar os direitos dos livros que, segundo se diz, apareciam na porta da casa de Leonard no dia do lançamento. Mas a plateia e o próprio escritor muitas vezes não ficavam satisfeitos com o resultado nas telas.

Leonard, que passou a maior parte da vida em Detroit e seus subúrbios, dizia que muito cineastas cometiam o erro de ressaltar a trama em histórias que eram guiadas pelos personagens, como “Get Shorty”, sobre um adorável agiota chamado Chili Palmer.

“Meus personagens são o tema dos meus livros. A trama só acompanha”, disse Leonard ao jornal britânico The Guardian em 2004. “Os filmes sempre querem se concentrar na ação.”

Sua adaptação cinematográfica favorita foi de “Rum Punch”, levado ao cinema por Quentin Tarantino como “Jackie Brown”.

A série de TV “Justified”, sobre um oficial de Justiça no Kentucky, que começou a ser exibida em 2010 na TV a cabo dos Estados Unidos, se baseava na obra de Leonard e teve o escritor como produtor-executivo.

Nascido em Nova Orleans, Leonard se mudou para Detroit com a família aos 8 anos. Ele dizia que a leitura na infância de “Sem Novidade no Front”, de Erich Maria Remarque, o levou a se tornar um escritor.

Em 2012, recebeu da Fundação Nacional do Livro a Medalha de Notável Contribuição às Letras Americanas, o que o colocou na companhia de nomes como Toni Morrison, John Updike, Gore Vidal e Norman Mailer.

Foi casado três vezes e teve cinco filhos com a primeira mulher. Um deles, Peter, também foi publicitário antes de virar escritor.

Reportagem de Chris Michaud

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below