Maestro Fischer compõe ópera inspirada em perseguição a judeus húngaros

terça-feira, 8 de outubro de 2013 17:58 BRT
 

Por Michael Roddy

LONDRES, 7 Out (Reuters) - A história chocante do "libelo de sangue", uma calúnia cometida no século 19 contra judeus húngaros acusados de assassinar uma menina cristã para extrair o seu sangue, é o tema da primeira ópera do maestro Ivan Fischer, com estreia marcada para o fim de semana em Budapeste.

A horrível história, apresentada em um só ato na música "A Novilha Vermelha", de Fischer, é baseada em um incidente na aldeia húngara de Tiszaeszlar, onde judeus foram acusados de matar Eszter Solymosi, de 14 anos, em 1883, para retirar seu sangue com a finalidade de fazer pão ázimo para a Páscoa judaica -- um tipo de calúnia disseminada na publicação notoriamente antissemita "Os Protocolos do Sião".

Cerca de 15 judeus foram julgados e absolvidos do crime, mas o caso desencadeou forte onda de antissemitismo na época.

Fischer, que é judeu, disse que o caso continua a ter repercussões até hoje, pois o túmulo de Eszter se tornou um local de peregrinação para os húngaros da extrema-direita.

"Tal como no século 19 , a Hungria é novamente um campo de batalha entre as pessoas esclarecidas que gostariam de se unir ao mundo ocidental, especialmente na Europa, e os fundamentalistas nacionalistas que se sentem ameaçados e criam bodes expiatórios ", disse Fischer à Reuters em resposta a perguntas enviadas por email.

Nas notas de programa para a estreia domingo em Budapeste, Fischer afirma ter pensado em escrever na década de 1980 uma ópera baseada no romance Tiszaeszlar, depois de ter sido inspirado por um filme, mas o cineasta com quem ele tinha pretendia trabalhar faleceu.

"Estive pensando incessantemente em compor esta ópera nos últimos 25 anos", disse Fischer. "O fato de o Caso Tiszaeszlar ter-se tornado nos dias de hoje um assunto quente na política finalmente me ajudou."

Veja abaixo entrevista com Fischer sobre a ópera e outros trabalhos, influências musicais e a produção musical da Hungria:   Continuação...