Dançarino do Bolshoi nega culpa por ataque com ácido a diretor

terça-feira, 22 de outubro de 2013 17:23 BRST
 

Por Maria Tsvetkova e Gabriela Baczynska

MOSCOU, 22 Out (Reuters) - O bailarino russo Pavel Dmitrichenko negou nesta terça-feira, no seu julgamento, qualquer responsabilidade no ataque com ácido que quase cegou o diretor artístico do Balé Bolshoi, Sergei Filin.

Dmitrichenko, de 29 anos, foi levado algemado a um tribunal de Moscou para ser julgado pelo atentado cometido no início do ano, o qual expôs as profundas rivalidades atrás do palco de uma das grandes instituições culturais russas.

Ele e dois supostos cúmplices podem pegar até 12 anos de prisão se forem condenados por danos corporais graves no ataque contra Filin, em 17 de janeiro.

"Não reconheço responsabilidade", disse a jornalistas Dmitrichenko, que estava com olheiras escuras, depois que funcionários o conduziram com os dois outros réus para uma gaiola de metal na corte. Ele olhou para os pais e abriu um rápido sorriso.

Dmitrichenko balançou a cabeça quando os repórteres lhe fizeram outra perguntas e disse que falaria na corte. Mas o julgamento foi adiado para 29 de outubro por causa da ausência de um advogado de um dos outros réus.

Filin, cujo cargo lhe dava o poder de impulsionar ou arruinar carreiras, voltava para casa quando um atacante mascarado chamou seu nome e jogou em seu rosto o ácido que estava num frasco, deixando-o contorcendo-se na neve, gritando por socorro.

Numa audiência em março Dmitrichenko disse que queria que Filin fosse agredido, mas ficara chocado ao saber que tinham usado ácido.