Artista Botero revive em livro seu amor de infância pelo circo

terça-feira, 5 de novembro de 2013 19:20 BRST
 

Por Walker Simon

NOVA YORK, 5 Nov (Reuters) - O artista colombiano Fernando Botero exibe seu encantamento pelo circo, revivendo a magia que sentiu quando menino, no seu novo livro, intitulado "Circo: Pinturas e Obras sobre Papel".

Botero, conhecido pelas figuras gordinhas que pinta, incluiu em seu livro 137 pinturas, 31 desenhos e 22 aquarelas feitas em 2007 e 2008, retratando um mundo mágico onde realidade e fantasia se misturam.

"O circo permite que se seja lógico e irreal ao mesmo tempo", disse Botero, de 81 anos, numa entrevista em Nova York. "No circo tudo é possível, pode haver um homem de duas cabeças, ou um personagem de rosto verde."

Um filhote de leão sorri satisfeito em uma pintura. Em outra obra, um macaco ereto, de terno xadrez verde, segura um cigarro e parece absorto em pensamentos.

Em alguns, os animais parecem muito maiores do que as pessoas - sempre robustas, um estilo que contribuiu para fazer de Botero um dos mais famosos artistas latino-americanos vivos.

Ele diz que o apelo da obra se deve ao fato de que "o circo é um tema global". "Ele existe em todas as partes do mundo, talvez não na África, mas existe na Ásia em todas as partes. Na América Latina é difícil encontrar uma pessoa que não tenha ido ao circo."

Botero se apaixonou por essa forma de arte quando, numa infância pobre, ir ao circo era um evento importante.

"Tudo parecia gigante. Havia alguns cachorros muito grandes (...), eles pareciam enormes ursos", lembra-se. "O circo deixa uma doce lembrança."