Premiê britânico defende "selfie" com Obama em tributo a Mandela

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 14:30 BRST
 

LONDRES, 11 Dez (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defendeu nesta quarta-feira seu comportamento durante a cerimônia de homenagem a Nelson Mandela na África do Sul, depois de ter sido criticado na Grã-Bretanha por ter posado sorridente para uma foto com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

O autorretrato, conhecido como "selfie" nas redes sociais, foi tirado na terça-feira na cerimônia de tributo ao líder sul-africano, que morreu na quinta-feira, aos 95 anos.

Cameron e Obama, que também foi criticado pela imprensa norte-americana, posaram junto com a primeira-ministra dinarmaquesa, Helle Thorning-Schmidt. Os três pareciam muito alegres.

A fotografia está na primeira página de muitos jornais britânicos nesta quarta-feira. O popular Sun chamou a foto de uma gafe e uma demonstração de falta de respeito com o político sul-africano.

Cameron foi questionado sobre a imagem durante a sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro no Parlamento britânico.

"Você deve sempre lembrar que as câmeras de TV estão sempre ligadas", disse o premiê ao Parlamento. "Em minha defesa, eu diria que Nelson Mandela teve um papel extraordinário na sua vida e na sua morte em unir as pessoas."

Um porta-voz do primeiro-mininistro afirmou que o evento havia sido mais uma "celebração" da vida de Mandela do que um funeral, que será no domingo.

Do outro lado do Atlântico, o New York Daily News afirmou que o comportamento de Obama havia sido impróprio.

(Reportagem de Andrew Osborn)

 
Premiê da Grã-Bretanha, David Cameron, durante memorial do ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, no estádio Soccer City, em Johanesburgo. Cameron defendeu nesta quarta-feira seu comportamento durante a cerimônia de homenagem a Nelson Mandela na África do Sul, depois de ter sido criticado na Grã-Bretanha por ter posado sorridente para uma foto com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. 10/12/2013. REUTERS/Ihsaan Haffejee