Programa de TV britânico descobre obra prima perdida de Van Dyck

domingo, 29 de dezembro de 2013 16:08 BRST
 

Por Andrew Osborn

LONDRES, 29 Dez (Reuters) - Um programa de televisão britânico dedicado a avaliar as antiguidades, geralmente modestas, do público, disse neste domingo que descobriu uma “obra-prima escondida” que vale até 400 mil libras (659 mil e 800 dólares).

A pintura do artista flamengo do século 17, Anthony van Dyck, retrata um magistrado de Bruxelas, barbado e usando uma gola antiga e foi levado ao programa por um sacerdote inglês que comprou a obra de arte em uma loja de antiguidades, por apenas 400 libras.

Padre Jamie MacLeod, que comprou a pintura porque gostou da sua moldura pesada e dourada, pretende vender o retrato para financiar a restauração dos sinos da capela de um retiro religioso que ele administra em Derbyshire, Inglaterra.

Philip Mould, um especialista em arte que trabalha para o programa da BBC, Antiques Roadshow, suspeitou que a pintura pudesse ser um original de Van Dyck e convenceu o clérigo a retirar a tela, deixando-a na sua forma original, e a autenticasse.

Chritopher Brown, um dos maiores especialistas em Van Dyck no mundo e diretor do museu Ashmolean, em Oxford, pôde então confirmar que a pintura é autêntica, disse o programa.

Acredita-se que o retrato foi concluído como parte da preparação de um trabalho maior de Van Dyck, feito em 1634, mostrando sete magistrados. Essa obra já não existe mais, foi destruída.

Mould descreveu a descoberta como um “exemplo emocionante” das habilidades de observação direta, que fez de Van Dyck um grande pintor de retratos.

Van Dyck foi um dos principais pintores da corte da Inglaterra no século 17, fazendo seu nome com retratos de Charles I, da Inglaterra, sua família e da corte.   Continuação...