Obras de arte roubadas por nazistas são encontradas no Parlamento alemão, diz jornal

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013 15:33 BRST
 

Por Madeline Chambers

BERLIM, 30 Dez (Reuters) - Um historiador de arte encontrou duas obras roubadas pelos nazistas dentro do Parlamento alemão, informou um jornal nesta segunda-feira, em um novo constrangimento para autoridades após ter sido revelado no mês passado um enorme depósito de arte roubada.

O Bundestag (Parlamento), em comunicado emitido após a reportagem do jornal Bild, disse que um especialista estava analisando dois "casos suspeitos", mas um porta-voz não confirmou o achado.

As investigações do historiador sobre a coleção de arte do Parlamento, que começaram em 2012, continuam a ser conduzidas, disse um porta-voz da Bundestag.

"Não está claro quando as investigações chegarão a um resultado", disse ele.

No mês passado, autoridades alemãs revelaram que uma valiosa coleção de arte roubada pelos nazistas, avaliada em 1 bilhão de euros (1,38 bilhão de dólares), havia sido encontrada em um apartamento de Munique.

A coleção foi mantida por décadas por Cornerlius Gurlitt, um idoso filho de um negociador de arte de ascendência judia que foi ordenado por Hitler a comprar o que chamava 'arte degenerada' e vendê-las para arrecadar fundos para os nazistas.

O jornal Bild disse que um dos dois trabalhos descobertos na coleção do Bundestag também já havia pertencido à família Gurlitt.

Segundo a publicação, as obras são uma pintura a óleo de Georg Waltenberger datada de 1905 e uma litografia de Lovis Corinth.

Os nazistas pilharam centenas de milhares de obras de arte de museus e indivíduos por toda Europa. Um número desconhecido de obras ainda está desaparecido, e museus de todo o mundo têm conduzido investigações sobre a origem dos trabalhos que expõem.

Autoridades alemãs foram criticadas por manter segredo por dois anos sobre a descoberta da coleção de Gurlitt composta por 1.406 obras de arte europeias, incluindo trabalhos de Picasso e Matisse.