Magnata da mídia de Hong Kong morre aos 106

terça-feira, 7 de janeiro de 2014 11:53 BRST
 

By Grace Li and Alice Woodhouse

HONG KONG, 7 Jan (Reuters) - Sir Run Run Shaw, que criou em Hong Kong um império asiático das comunicações, morreu na terça-feira, aos 106 anos, informou sua companhia.

A emissora TVB disse em nota que Shaw morreu pacificamente em sua casa de Hong Kong, cercado por sua família.

Figura emblemática do cinema local, Shaw popularizou os filmes de kung fu no Ocidente e, em 80 anos de carreira, ajudou a transformar a então colônia britânica em uma "Hollywood do Oriente".

Em 1967, lançou a TVB, principal canal aberto de Hong Kong, no qual permaneceu como presidente executivo até 2011.

Cinéfilo desde criança, diz a lenda que Shaw começou na atividade distribuindo de bicicleta rolos de filmes para cinemas rurais de Cingapura e da Malásia, o que dava um sentido adequado ao seu prenome, Run Run ("corre-corre", em inglês).

Em 1925, ajudou seus irmãos mais velhos Runje, Runde e Runme a montarem um estúdio de cinema em Xangai. Os irmãos se transferiram posteriormente para Hong Kong, onde produziam e distribuíam filmes para uma rede com cerca de cem salas espalhadas por mercados asiáticos como Cingapura, Malásia e Tailândia.

Shaw depois rompeu com os irmãos e montou seu próprio estúdio, na década de 1950 -a gênese da era de ouro do cinema local. O estúdio produziu cerca de mil títulos, incluindo melodramas, épicos históricos e clássicos do kung fu, como "O Espadachim de Um Braço Só", ajudando a redefinir os gêneros e a atrair novos públicos não só na Ásia como também no Ocidente.

Ele também investiu em várias coproduções, a mais famosa das quais foi "Blade Runner", com Harrison Ford, em 1982.   Continuação...

 
Magnata da mídia de Hong Kong Run Run Shaw durante cerimônia de entrega do prêmio Run Run Shaw, em Hong Kong. Sir Run Run Shaw, que criou em Hong Kong um império asiático das comunicações, morreu na terça-feira, aos 106 anos, informou sua companhia. 28/09/2010. REUTERS/Bobby Yip