Em Nova York, ativistas do Pussy Riot prometem voltar aos palcos

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014 11:09 BRST
 

Por Edith Honan

NOVA YORK, 5 Fev (Reuters) - Duas integrantes da banda punk russa Pussy Riot se transformaram em ativistas globais dos direitos humanos depois de serem presas por vandalismo, mas na terça-feira prometeram voltar aos palcos como artistas.

"É absolutamente impossível tirar isso de nós", disse Nadezhda Tolokonnikova, de 24 anos, numa entrevista coletiva em Nova York, onde participará de um show na quarta-feira como parte de um evento da Anistia Internacional, às vésperas da abertura da Olimpíada de Inverno de Sochi, na Rússia.

Tolokonnikova e sua colega Maria Alyokhina, de 25 anos, serão apresentadas no show da anistia pela pop star Madonna. Elas devem falar, mas não está previsto que toquem.

As duas artistas foram condenadas em 2012 por terem feito um protesto contra o presidente russo, Vladimir Putin, numa catedral ortodoxa de Moscou. Uma terceira integrante do grupo, Yekaterina Samutsevich, teve sua sentença suspensa na fase de recurso.

 
As integrantes da banda de punk rock russa Pussy Riot Nadezhda e Maria Alyokhina durante coletiva de imprensa em Nova York. As integrantes da Pussy Riot se transformaram em ativistas globais dos direitos humanos depois de serem presas por vandalismo, mas na terça-feira prometeram voltar aos palcos como artistas. 4/02/2014. REUTERS/Shannon Stapleton