Princesa espanhola é interrogada em investigação de corrupção

sábado, 8 de fevereiro de 2014 15:37 BRST
 

Por Teresa Larraz Mora

PALMA DE MALLORCA, Espanha, 8 Fev (Reuters) - A princesa espanhola Cristina foi interrogada por um juiz neste sábado em um caso de corrupção que aprofundou a irritação pública com casos semelhantes entre a classe dominante e o descontentamento com a família real.

Essa foi a primeira vez que um membro da realeza espanhola foi intimado em um processo criminal desde que a monarquia foi restaurada em 1975 após a morte do ditador Francisco Franco.

Com a Espanha saindo lentamente de uma forte crise econômica e financeira que deixou 26 por cento da população desempregada, os juizes estão avaliando centenas de casos de corrupção deixados após um boom imobiliário que acabou abruptamente em 2008.

Cristina, filha mais nova do rei Juan Carlos e a sétima na sucessão ao trono, enfrenta acusações preliminares de fraude tributária e lavagem de dinheiro ligada ao seu uso de receita de uma empresa de fachada de propriedade dela e de seu marido, Inaki Urdangarin.

Tanto a princesa quanto Urdangarin --que não representa a Coroa em eventos oficiais desde 2011 --negam as acusações.

A imprensa não teve permissão para entrar na audiência fechada na corte de Palma de Mallorca.

Manuel Delgado, advogado de um dos dois grupos civis que fizeram acusações contra a princesa, disse à imprensa do lado de fora: "A maioria das respostas dela foi 'não sei', 'não lembro' e 'confiava totalmente no meu marido'."

Jesus Silva, um dos advogados da princesa, disse a jornalistas que ela havia ficado "contente" com o testemunho. "Ela respondeu absolutamente todas as perguntas que lhe perguntaram...então ela não foi evasiva", completou ele.