Arte de rua, presente na Internet, chega a galeria londrina

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014 15:43 BRST
 

Por Jane Baird

LONDRES, 10 Fev (Reuters) - As obras de arte de uma nova galeria em Shoreditch, em Londres, não são para vender, e o artista planeja destruí-las assim que a exposição acabar. Phlegm, conhecido somente pelo pseudônimo, não compareceu à abertura da exibição e não dá entrevistas.

Richard Howard-Griffin, dono da galeria, planeja pagar o aluguel com as vendas de outras exposições. Ele está proporcionando o primeiro espaço numa galeria a um artista que já ganhou reconhecimento no mundo da arte underground e conta com milhares de admiradores.

"Phlegm é muito respeitado ao redor do mundo", depois de mais de uma década pintando murais urbanos na Europa e nos Estados Unidos, afirmou Howard-Griffin.

Um público grande começou a seguir a arte de rua, à medida que a Internet e câmeras em celulares possibilitaram capturar e compartilhar imagens das obras.

Howard-Griffin chama o fenômeno de "democratização da arte" e afirmou que a galeria quer atuar como condutora dessa nova onda de artistas, e não como árbitro.

"No passado, o público comum ia aos museus para ver arte", e o artista dependia de uma audiência de elite de donos de galeria e curadores para ser reconhecido, declarou Howard-Griffin. "Arte de rua tem um grande público, mas não tem uma audiência de elite."

Phlegm, que, segundo Howard-Griffin, "não liga para dinheiro", se sustenta vendendo gravuras e livros diretamente para os seus admiradores.