Morre Shirley Temple, a atriz mirim que se tornou diplomata

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014 19:19 BRST
 

Por Eric M. Johnson

11 Fev (Reuters) - Shirley Temple Black, que animou os norte-americanos quando ainda era uma criança de olhos brilhantes e covinhas, durante a Grande Depressão, e construiu uma segunda carreira como diplomara dos Estados Unidos, morreu na noite de segunda-feira aos 85 anos de idade.

Shirley, que atraiu milhões de pessoas aos cinemas nos anos 1930, "faleceu pacificamente" em sua casa de Woodside, Califórnia, de causas naturais às 22h57 pelo horário local (4h57 em Brasília), cercada pela família e cuidados, disse um comunicado da família nesta terça-feira.

"Nós a saudamos por uma vida de realizações notáveis como atriz, como diplomata e, mais importante, como uma amada mãe, avó, bisavó e adorada esposa por 55 anos", diz o comunicado.

Como atriz, Shirley foi precoce, saltitante e adorável com cabelos cacheados e sapateados em canções como "On The Good Ship Lollipop".

Como a embaixadora Shirley Temple Black, ela se caracterizou pela fala mansa e seriedade nos postos na Tchecoslováquia e Gana, refutando a preocupação de que sua carreira anterior a tornaria uma diplomata pouco firme.

"Não tenho nenhum problema para ser levada a sério, como mulher e diplomata aqui", disse Shirley depois de sua nomeação para a embaixada de Gana, em 1974. "Meus únicos problemas são com americanos que, no começo, se recusavam a acreditar que eu tinha crescido depois dos meus filmes."

As homenagens a Shirley jorraram nesta terça-feira depois da notícia da morte.

O ex-presidente George H.W. Bush, que a nomeou como embaixadora para a então Tchecoslováquia, disse que ela se destacou tanto como atriz mirim como diplomata.   Continuação...

 
Atriz e ex-diplomata Shirley Temple Black ao receber uma homenagem do Screen Actors Guild, em Los Angeles. Shirley Temple Black, que levantou o humor dos Estados Unidos como uma estrela infantil de olhos brilhantes e covinhas nas bochechas durante o período da Grande Depressão e depois se tornou uma diplomata dos Estados Unidos, morreu na noite de segunda-feira aos 85 anos, informou uma porta-voz da família em um comunicado. 29/01/2006. REUTERS/Mario Anzuoni