Pinturas de El Greco voltam a Toledo para aniversário

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014 22:21 BRT
 

Por Raquel Castillo

TOLEDO, Espanha, 18 Fev (Reuters) - Durante séculos, o pintor renascentista espanhol El Greco foi um não-ser. Ninguém estudava sua obra marcante e excêntrica, visível no teto de um catedral gótica, em obscuros conventos e em museus da Espanha.

Só no século 19 pintores modernos redescobriram o artista - nascido Domenicos Theotocopoulos, em Creta, mas radicado em Toledo (Espanha) entre 1577 e 1614, ano da sua morte. Suas cores ousadas e pinceladas grossas passaram então a inspirar outros artistas.

Agora, a cidade de Toledo celebra o quarto centenário da morte do seu morador ilustre com uma série de exposições, conferências e concertos na cidade murada medieval. Madri também recebe eventos.

O ponto alto das comemorações é a maior retrospectiva de obras de El Greco, em cartaz em Toledo entre 14 de março e 14 de junho.

Mais de cem telas do pintor ficarão expostas no museu Santa Cruz, na catedral da cidade e em outros lugares. A expectativa é de que a exposição receba 1 milhão de visitantes.

"Quase todas essas pinturas deixaram Toledo no começo do século 20. Estamos reunindo todas elas da diáspora de El Greco", disse Gregorio Marañón, presidente da fundação El Greco 2014, que há quatro anos prepara esses eventos.