Centenas de pessoas se despedem de Paco de Lucía em Madri

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 18:29 BRT
 

MADRI, 28 Fev (Reuters) - Centenas de pessoas despediram-se nesta sexta-feira em Madri do ícone do flamenco Paco de Lucía, o violonista que revolucionou a música popular espanhola, morto em um ataque cardíaco nesta semana no México.

Entre a multidão que esteve no Auditório Nacional de Madri para dizer adeus ao genial violonista estava o príncipe Felipe, que junto a inúmeros artistas e espanhóis se despediram do revolucionário artista com aplausos em um cenário rodeado de dezenas de coroas de flores.

"Foi nosso ídolo, além de nosso amigo. Para mim é um dos maiores artistas da história da música", disse o violonista flamenco Josemi Carmona à rede RTVE.

Depois de sua passagem por Madri, o velório irá para Algeciras, cidade onde o músico nasceu em 1947 e que vive três dias de luto oficial pelo falecimento de seu filho mais ilustre.

O artista da região de Cádiz, que estava com sua família no México, onde morava parte do ano, é considerado um dos grandes violonistas do mundo e renovador do flamenco, embora também tenha se aventurado em outros gêneros musicais, como o jazz e a bossa nova.

As autoridades mexicanas disseram que o músico sentiu dores agudas no peito e desmaiou, sendo levado a um hospital particular em Playa del Carmen, a 60 quilômetros de Cancún, onde morreu por um infarto agudo do miocárdio.

Paco de Lucía, cujo nome real era Francisco Sánchez Gómez, é autor de cerca de trinta discos, entre eles "Fuente y Caudal", "Entre dos Aguas" --que também dá nome a uma de suas músicas mais conhecidas-- "Almoraima" ou "Fantasía Flamenca".

Ele começou a tocar violão quando era criança. No início dos anos 1960 atuava junto a seu irmão Pepe na dupla "Los Chiquitos de Algeciras" e, em 1964, com 17 anos, lançou seu primeiro disco solo.

Depois de conhecer o músico Camarón de la Isla, ao qual definiu como seu artista mais admirado, começou a colaborar com ele e a sair em turnê, forjando uma dupla que revolucionou a história do flamenco nas últimas décadas.   Continuação...

 
Pepe de Lucia (centro), irmão do violonista espanhol Paco de Lucía, é confortado por familiares durante velório do irmão, em Madri, na Espanha, nesta sexta-feira. 28/02/2014 REUTERS/Susana Vera