SAIBA MAIS-Momentos memoráveis e grandes gafes nas noites do Oscar

domingo, 2 de março de 2014 21:41 BRT
 

Por Steve Gorman

LOS ANGELES, 2 Mar (Reuters) - A tarefa de apresentar a premiação anual dos Academy Awards, uma das tarefas mais prestigiadas da capital do cinema, caberá neste domingo pela segunda vez à comediante e apresentadora Ellen DeGeneres, que fez sua estreia como mestre de cerimônias do Oscar em 2007.

Ellen, apenas a segunda mulher a apresentar sozinha a noite do Oscar - Whoopi Goldberg foi a primeira - será comparada com uma longa lista de performances anteriores, incluindo a dela mesma, que recebeu críticas de diferentes matizes por seu estilo tranquilo e animado do dia-a-dia na TV.

Apesar do talento de Ellen para deixar as pessoas ao seu redor à vontade, alguns críticos se queixam de que suas brincadeiras, incluindo vários esquetes nos quais ela apelou para a audiência ao fazer palhaçadas com Martin Scorsese e Clint Eastwood, não eram adequados para o Oscar.

Embora dificilmente possa ser considerada a mais triunfal performance do Oscar, ficou longe de ser a mais desastrosa. A seguir, os principais pontos altos e gafes nas cerimônias do passado:

- Jerry Lewis, um dos apresentadores em 1959, fez suas melhores maluquices para seguir com a cerimônia quando o show estava com 20 minutos de tempo sobrando. Desesperado para preencher a lacuna, Lewis contou piadas, dançou, tocou trompete e até pegou uma batuta para conduzir a orquestra, gritando "Nós podemos arranjar um bar mitzvá com isto!". A NBC finalmente o tirou do ar e cortou para um documentário sobre tiros de pistola.

- Quando a cerimônia de 1974 foi interrompida por um ousado homem nu cruzando o palco, o apresentador David Niven rapidamente comentou: "Provavelmente a única risada que aquele homem conseguirá ouvir alguma vez é por ter tirado a roupa e mostrado os seus defeitos."

- Chevy Chase abriu o Oscar de 1988 com a frase "Boa noite, impostores de Hollywood" - e nunca mais apresentou um outro novamente.

- Billy Crystal, anfitrião por oito vezes, esteve à frente de um momento impagável na história do Oscar em 1992, quando o ator Jack Palance, então na casa dos 70 anos, começou a fazer flexões com apenas um braço no palco depois de receber a estatueta por "Amigos, Sempre Amigos". Crystal transformou o momento em piadas, passando o restante do evento com frases como: "Jack Palance está nos bastidores no StairMaster (aparelho de ginástica)" e "Jack Palance acabou de fazer bungee-jumpee do letreiro de Hollywood".   Continuação...