"A Grande Beleza", da Itália, ganha Oscar de filme estrangeiro

segunda-feira, 3 de março de 2014 00:56 BRT
 

LOS ANGELES, 2 Mar (Reuters) - O filme italiano "A Grande Beleza", que retrata a alta sociedade de Roma, ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro neste domingo, na 86ª cerimônia de entrega do principal prêmio da indústria do cinema, no Teatro Dolby, em Los Angeles.

Foi o primeiro Oscar para o diretor Paolo Sorrentino e a 11ª vitória para a Itália desde que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas incluiu a categoria na premiação, em 1956. O país torna-se, portanto, o mais premiado.

Nascido em Nápoles, Sorrentino citou o diretor italiano Federico Fellini, o ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona - que já jogou pelo clube de futebol Napoli - sua mulher e o foco central de seu filme, Roma.

"Obrigado à minha inspiração, Federico Fellini... Martin Scorsese, Diego Armando Maradona", ele disse, "e obrigado a Roma, Nápoles... e isto é para os meus pais.".

"A Grande Beleza" começa em uma grande festa de 65 anos de Jep Gambardella, interpretado por Toni Servillo, e acompanha a reflexão do escritor sobre sua busca de um significado para a refinada sociedade de Roma.

Gambardella é um jornalista bem conhecido, cujo sucesso o colocou no centro do decadente mundo social. Mas Jep é também o autor de um aclamado romance, escrito anos atrás, mas continua a ser assombrado pela carreira que não conseguiu construir quando escolheu a facilidade sedutora de sua vida atual. Ele se tornou um mundano exemplar.

O ambicioso drama dirigido por Sorrentino lembra produções como "A Doce Vida" e "8 1/2", de Federico Fellini, ao retratar a alta sociedade de Roma e os temores existenciais de um artista.

Também estavam na disputa pela estatueta de melhor filme estrangeiro "Alabama Monroe" (Bélgica), "A Caça" (Dinamarca), "A Imagem que Falta" (Camboja) e "Omar" (Palestina).

 
O diretor Paolo Sorrentino (direita) e o ator Tony Servillo recebem o Oscar de melhor filme estrangeiro por "A Grande Beleza" (Itália), em Los Angeles, no domingo. 02/03/2014 REUTERS/Lucy Nicholson