CORREÇÃO-ESTREIA-Com Caio Blat, "Entre Nós" retrata um grupo de personagens fechados em si mesmos

quinta-feira, 27 de março de 2014 19:01 BRT
 

(Corrige no 6o parágrafo o nome de ator para Julio Andrade, em vez de Julio Rocha)

SÃO PAULO, 26 Mar (Reuters) - De um grupo de amigos no qual todos, aparentemente, sonham ser escritores, Felipe (Caio Blat) e Rafa (Lee Taylor) parecem ser aqueles que conseguirão publicar seus livros antes de todos. Rafa, aliás, está com seu primeiro romance pronto, é só datilografar (ainda estamos em 1992) e mandar para uma editora.

Mas, quando ele sofre um acidente de carro na companhia de seu amigo, este resgata o caderno no qual o livro está manuscrito e se apropria da obra. Publica-a como sua, conhece a fama e o sucesso, embora seja consumido pela culpa que nunca revelou a ninguém.

Essa é a trama do nacional "Entre Nós", que lembra alguns filmes estrangeiros ("Você Vai Conhecer o Homem de Seus Sonhos", de Woody Allen, "Morvern Callar", de Lynne Ramsay), ao discutir a apropriação intelectual indevida.

Já a linha que rege a narrativa remete a outro norte-americano, "O Reencontro", de Lawrence Kasdan, que facilmente pode levar a pensar que os diretores, Pedro e Paulo Morelli (este também assina o roteiro), tivessem esse filme em mente ao realizarem o seu.

Dez anos depois do acidente, o grupo se reencontra na mesma casa na Serra da Mantiqueira onde estavam todos quando Rafa e Caio iam à cidade mais próxima comprar bebida. Na época, aliás, todos os amigos escreveram cartas para si mesmos, guardaram numa caixa e a enterraram para reabri-la uma década depois. Trata-se, enfim, de um filme sobre as ilusões perdidas.

Na sua primeira parte, "Entre Nós" trata de apresentar os personagens - que também incluem Silvana (Maria Ribeiro), patricinha dona da casa onde estão hospedados, Lucia (Carolina Dieckmann) e seu namorado, Gus (Paulo Vilhena), e o casal Drica e Cazé (Martha Nowill e Julio Andrade, ambos premiados no Festival do Rio do ano passado por esse trabalho).

É um grupo heterogêneo de uma elite intelectual centrada apenas no próprio ego. O filme, porém, não precisaria aderir a eles, mas adere e aí complica.

Dez anos se passam, e eles nunca mais se viram.   Continuação...