Venda de Stradivari raro pode estabelecer novo recorde de leilões

quinta-feira, 27 de março de 2014 16:17 BRT
 

Por Patricia Reaney

NOVA YORK, 27 Mar (Reuters) - Uma viola Stradivari rara, considerada uma das melhores que ainda existem, deve arrebatar mais de 45 milhões de dólares em um leilão fechado nos próximos meses, o que significaria um novo recorde mundial: o instrumento musical mais caro já vendido.

A viola 'MacDonald', feita pelo famoso artesão italiano Antonio Stradivari em 1719, é a primeira a ser posta no mercado em 50 anos, de acordo com a casa de leilões Sotheby's.

Ela também é uma de somente duas violas Stradivari ainda em mãos particulares. A outra está na Biblioteca do Congresso em Washington, nos Estados Unidos.

"Stradivari é o maior fabricante de violinos de todos os tempos", disse Tim Ingles, diretor da casa de leilões de instrumentos londrina Ingles & Hayday, encarregada da venda com a Sotheby's.

"O incrível sobre as violas é que há um número pequeno delas - só 10 completas hoje, então há um grande fator de raridade", acrescentou ele em entrevista à Reuters.

Por causa do calibre e do status do instrumento, foi decidido que um leilão fechado com lance mínimo de 45 milhões de dólares seria a melhor maneira de combinar a sensação de exclusividade de uma venda particular com a emoção de um leilão. O dono do lance mais alto será anunciado em 25 de junho.

O recorde de preço de um instrumento musical em um leilão é de 15,9 milhões de dólares, valor atingido por um violino Stradivari 'Lady Blunt' de 1721 arrematado em junho de 2011 em um leilão na Internet.

Os instrumentos Stradivari, com seus sons ricos e profundos, são vendidos por milhões de dólares e amados por músicos há séculos.

"Geralmente se concorda que a viola Stradivari 'Macdonald' de 1719 é a melhor já feita", disse Ingles. "Uma viola Stradivari sempre foi um Santo Graal dos colecionadores de instrumentos musicais".

Nascido em Cremona, na Itália, em 1644, Stradivari teve uma extraordinária carreira de 70 anos. Além de violinos e violas, ele também fez alaúdes, bandolins, guitarras e harpas, antes de morrer, em 1737, aos 93 anos.