Autoridades de Miami querem impedir festival de música Ultra por causa do "caos"

segunda-feira, 31 de março de 2014 15:50 BRT
 

Por Zachary Fagenson

MIAMI, 31 Mar (Reuters) - Políticos de Miami estão pedindo o fim do festival de música eletrônica Ultra desde que uma segurança foi pisoteado e levado ao hospital com ferimentos cerebrais depois que penetras invadiram o evento de três dias através de uma cerca de segurança.

A mulher de 28 anos, que trabalha para uma empresa de segurança, continuava em estado crítico nesta segunda-feira, de acordo com o porta-voz da polícia de Miami, Freddie Cruz.

"Acho que não deveríamos ter o Ultra aqui no ano que vem", disse o prefeito Tomás Regalado ao jornal Miami Herald no fim de semana. "Não queremos ser vistos como a cidade do caos".

Ele disse que os organizadores do festival "agiram irresponsavelmente" por não fornecerem proteção suficiente ao Bayfront Park, no centro de Miami.

Mais de 160 mil pessoas compareceram ao evento, agora em seu 16º ano, segundo Alexandra Greenberg, porta-voz do Ultra. A polícia prendeu 84 pessoas e realizou mais de 150 socorros.

"Os coordenadores do evento estão cooperando plenamente com as autoridades investigativas", disse Greenberg.

No festival do ano passado, uma mulher de 20 anos morreu de overdose de droga. Festivais de música eletrônica de todo o país vem sendo objeto de atenção crescente nos últimos anos.

Em 2010, Los Angeles forçou o Insomniac Events' Electric Daisy Carnival (EDC) a se mudar para Las Vegas depois que uma garota de 15 anos teve uma overdose de MDMA, estimulante popular conhecido como ecstasy ou "Molly".   Continuação...