Tigela da dinastia Ming bate recorde ao ser leiloada por US$ 36 milhões

terça-feira, 8 de abril de 2014 12:58 BRT
 

Por James Pomfret

HONG KONG, 8 Abr (Reuters) - Um rara tigela cozida no forno imperial da dinastia chinesa Ming, a mais de 500 anos atrás, foi vendido nesta terça-feira por 281,2 milhões de dólares de Hong Kong, tornando-se uma das relíquias chinesas mais caras já leioladas.

A pequena tigela de porcelana do período Chenghua, datada entre 1465 e 1487, é decorada com pinturas de galos, galinhas e pintos, e é conhecida de maneira simplificada como "tigela das galinhas".

O objeto é considerado um dos itens mais procurados de arte chinesa, visto como uma reverência talvez comparável àquela dispendida aos ovos Fabergé da Rússia czarista.

"Todas as vezes que uma tigela com galinhas vem ao mercado, redefine totalmente os preços no campo da arte chinesa", disse o vice-presidente da casa de leilão Sotheby's Ásia, após a venda.

A última vez que uma tigela similiar foi leiloada, em 1999, alcançou 29 milhões de dólares de Hong Kong, cerca de um quinto do preço atingido nesta terça-feira.

Com apenas 16 tigelas Chenghua com temas de galinhas identificadas até o momento, a maior parte presente em museus públicos, poucas chegaram a leilão. Somente quatro dessas permanecem em mãos privadas.

Exaltadas ao longo dos séculos pelos imperadores chineses e por aficionados devido a sua qualidade, raridade e lendária textura aveludada, as tigelas Chenghua cozidas nos fornos imperiais de Jingdezhen estão entre os objetos mais valorizados de arte chinesa.

Em um leilão lotado, as ofertas pela delicada tigela do tamanha de uma palma de mão começaram em 160 milhões de dólares de Hong Kong, e a peça foi continuamente disputada por três participantes antes de ser arrematado pelo grande colecionador chinês Liu Yiqian por 250 milhões de dólares de Hong Kong.   Continuação...