A "Macondo" de García Márquez se enche de saudade por morte do escritor

sexta-feira, 18 de abril de 2014 17:19 BRT
 

Por Helen Murphy

ARACATACA, Colômbia, 18 Abr (Reuters) - Folheando fotografias com cantos dobrados, Nicolás Ricardo Arias sorri enquanto relembra reuniões de família com seu primo Gabriel García Márquez em Aracataca, um vilarejo na Colômbia onde o famoso escritor nasceu e se inspirou para criar a sua "Macondo", cenário do romance "Cem Anos de Solidão".

"Este é um dia muito especial, de tristeza e lembranças", disse Arias, de 78 anos, na varanda de sua casa modesta na estrada poeirenta desta cidade caribenha que se encheu de nostalgia depois de saber da morte de seu filho amado, na Cidade do México, na quinta-feira.

Como muitos em Aracataca, Arias está de luto pela perda de García Márquez, que morreu aos 87 anos depois de ter revolucionado a literatura latino-americana dando uma dimensão universal ao realismo mágico, que lhe valeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1982.

"Eu me lembro dele com seu uísque e suas piadas", disse Arias.

O corpo de "Gabo", como eram carinhosamente chamado por seus amigos e leitores, foi cremado em uma cerimônia particular na Cidade do México, informou a imprensa colombiana. Familiares e autoridades culturais têm permanecido em silêncio desde que o corpo foi levado para uma funerária.

Na manhã desta sexta-feira, a cantora Shakira enviou flores para a casa do escritor no México, assim como fizeram alguns imigrantes colombianos.

Na Colômbia, dezenas de pessoas permaneciam em luto do lado de fora da casa onde ele nasceu em 6 de março de 1927 em uma grande família em que a avó contava histórias fantásticas que serviram de inspiração ao escritor. Naquela época, o povoado era propriedade da companhia bananeira United Fruit.

A casa foi reconstruída mantendo a sua forma original, e é agora um museu.   Continuação...