April 29, 2014 / 12:05 AM / 3 years ago

Dinamarquês Noma recupera coroa como melhor restaurante do mundo

4 Min, DE LEITURA

Por Belinda Goldsmith

LONDRES, 28 Abr (Reuters) - O restaurante dinamarquês Noma foi eleito o melhor do mundo nesta segunda-feira, superando o vencedor do ano passado, o espanhol El Celler de Can Roca, recuperando o título cada vez mais influente que havia mantido por três anos consecutivos e que garante uma lista de espera de clientes.

O proprietário e chef do Noma, Rene Redzepi, de 36 anos, com a sua nova cozinha nórdica, deixou El Celler de Can Roca em segundo lugar na cerimônia de premiação no Guildhall, de Londres, da qual participaram influentes chefs e escritores de gastronomia de todo o mundo.

O D.O.M, de Alex Atala, de São Paulo, ficou em sétimo lugar neste ano e novamente conquistou o título de melhor restaurante da América do Sul. Atala também recebeu o Prêmio de Melhor Chef de 2014.

Helena Rizzo, do Maní, também de São Paulo, levou para casa o Veuve Clicquot World, prêmio dado à melhor chef mulher, e seu restaurante ganhou dez posições, passando para o 36º lugar.

O Noma, em Copenhague, havia ficado em primeiro lugar por três anos, de 2010 até 2012, com o seu menu de pratos originais, como o ouriço do mar com torrada, tartar de carne e formigas, e pera e couve galega.

"A atenção meticulosa de Redzepi aos detalhes, a abordagem inovadora na busca de alimentos e experimentação com fermentação - tudo motivado pela paixão e uma curiosidade implacável - mais uma vez levaram seu restaurante para o topo", disseram os organizadores.

O El Celler de Can Roca, da Espanha, administrado por três irmãos, escorregou de volta para o segundo lugar. A lista contou com sete restaurantes espanhóis, incluindo o Mugaritz em sexto e um restaurante coligado em San Sebastián, o Arzak, em oitavo lugar.

A Osteria Francescana, do chef italiano Massimo Bottura, em Modena, na Itália, manteve o terceiro lugar pelo segundo ano consecutivo. O Eleven Madison Park, de Nova York, subiu um ponto e passou para o quarto lugar, ficando como o melhor restaurante da América do Norte.

A lista dos 50 principais restaurantes contou com sete dos Estados Unidos, incluindo o Alinea, em Chicago, o Per Se, em Nova York, e o estreante Coi, de San Francisco.

Pela primeira vez, a Grã-Bretanha teve dois restaurantes entre os dez principais, com o Dinner, de Londres, do chef Heston Blumenthal, em quinto lugar, um aumento de dois pontos em relação a um ano atrás, e o The Ledbury, de Brett Graham, em Notting Hill, em Londres, subindo três posições desde o ano passado, chegando ao décimo lugar.

A Ásia teve sete restaurantes na lista, sendo o mais bem colocado o Nahm, de Bangcoc, na Tailândia, do chef australiano David Thompson, em 13º lugar.

A lista é organizada pela revista britânica Restaurant e patrocinada pela empresa de água mineral S. Pellegrino & Acqua Panna. Foi lançada em 2002, mas está rivalizando com as estrelas da culinária concedidas pelos guias Michelin.

Os guias Michelin foram fundados em 1900 como manuais para os motoristas, mas se tornaram o ponto de referência de boa comida após criarem um sistema de classificação por estrelas em 1926, publicando atualizações regulares sobre milhares de restaurantes em vários países.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below