Abrangência dos celulares no mundo chega a 50%

quinta-feira, 29 de novembro de 2007 20:11 BRST
 

HELSINQUE (Reuters) - A telefonia celular atingiu na quinta-feira 3,3 bilhões de usuários no mundo, equivalente a metade da população do planeta, 26 anos depois do lançamento da primeira rede de telefonia móvel, segundo dados da empresa de pesquisas Informa.

Desde a ativação das primeiras redes da empresa Nordic Mobile Telephony (NMT), em 1981 na Suécia, Noruega e Arábia Saudita, os celulares se tornaram o produto eletrônico mais vendido do mundo.

"O setor de celulares supera constantemente até as previsões mais otimistas sobre o crescimento da base de assinantes", disse Mark Newman, diretor de pesquisas da Informa, em nota.

"Para as crianças que crescem hoje, a questão não é se elas terão um celular, é uma questão de quando", disse Newman.

Nos últimos anos, o setor vem registrando forte crescimento nas periferias da China e da Índia, graças à redução nos preços dos aparelhos e das chamadas. As empresas já estão de olho no interior da África para manter o crescimento.

As redes nórdicas foram o embrião das histórias de sucesso de dois fabricantes de aparelhos celulares da região, a finlandesa Nokia e a sueca Ericsson. Na Ásia, o rápido crescimento do setor estimulou a produção das sul-coreanas Samsung e LG e da chinesa ZTE, que agora estão entre as seis maiores do mundo no setor.

Embora o número de celulares equivalha a 50 por cento da população mundial, isso não significa que metade das pessoas tenha um celular, já que, segundo a Informa, em 59 países a penetração é superior a 100 por cento --em média, cada pessoa tem mais de um aparelho.

"A diferença econômica entre os mercados mais maduros e os dos países em desenvolvimento é destacada pelas vastas diferenças no faturamento das operadoras por usuário", disse a Informa.

A empresa Hutchison Whampoa, por exemplo, fatura um pouco mais de 70 dólares por mês por cliente na Grã-Bretanha, valor que no Sri Lanka cai para menos de 3 dólares.   Continuação...