Precursores da nanotecnologia ganham Nobel de Física

terça-feira, 9 de outubro de 2007 11:14 BRT
 

Por Niklas Pollard

ESTOCOLMO (Reuters) - O francês Albert Fert e o alemão Peter Gruenberg ganharam o Nobel de Física de 2007 por descobertas que permitiram a miniaturização radical de discos rígidos usados em equipamentos como laptops e tocadores de MP3.

O prêmio de 10 milhões de coroas suecas (1,54 milhão de dólares), entregue pela Real Academia Sueca de Ciências, presta reconhecimento à descoberta da magnetoresistência gigante.

"É graças a essa tecnologia que foi possível miniaturizar os discos rígidos tão radicalmente nos últimos anos", disse nota da academia.

A técnica criada pelos dois físicos permite a conversão de pequenas mudanças magnéticas em diferenças de resistência elétrica. Controlando essas pequenas mudanças magnéticas (técnica chamada, em inglês, de "spintronic" ou "girotrônica"), é possível acumular muito mais dados em HDs e desenvolver equipamentos portáteis, como celulares ou iPods.

"A idéia da spintronic é que poderíamos usar os giros do elétron em vez de uma carga elétrica para processar e armazenar imensas quantidades de dados em discos", disse Chris Marrows, físico da Universidade de Leeds (Grã-Bretanha) e especializado nesse ramo da eletrônica.

Fert, 69 anos, e Gruenberg, 68, fizeram suas descobertas de forma separada. Na entrevista coletiva ao vivo da Academia, o francês disse estar contente em dividir o prêmio com o colega. "Eu sabia que eu era um entre muitos candidatos, e estou muito orgulhoso", disse Fert, que agora entra para a companhia de grandes físicos laureados com o Nobel, como Albert Einstein, Marie Curie, Niels Bohr e Wilhelm Rontgen -- que recebeu o primeiro Nobel, em 1901, pela descoberta do raio X.

O de Física foi o segundo Nobel desta temporada, depois do de Medicina, entregue na segunda-feira. Faltam ainda os de Química (quarta-feira), Literatura (quinta) e Paz (sexta). Existe ainda um prêmio de Economia, que não foi instituído pelo cientista Alfred Nobel, mas é entregue desde 1968 pelo Banco Central da Suécia -- este sairá na segunda-feira, dia 15.

(Com reportagem de Simon Johnson, Sarah Edmonds, Adam Cox e Emma Bengtsson em Estocolmo e Michael Kahn em Londres)