Northeastern University processa Google por patente

segunda-feira, 12 de novembro de 2007 12:28 BRST
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Google está diante de um processo federal por violação de patentes, movido pela Northeastern University, em relação à tecnologia usada em seu sistema básico de buscas na Web, de acordo com documentos judiciais apresentados nesta semana.

A queixa foi apresentada em 6 de novembro em Marshall, no distrito leste do Texas --um tribunal federal norte-americano no qual os queixosos têm retrospecto de decisões bastante favorável em casos de patentes--, mas a existência do processo foi revelada apenas no final de semana.

Os queixosos são a Northeastern University, de Boston, e a Jarg, uma empresa iniciante criada por um professor da Northeastern University que detém licença exclusiva sobre uma tecnologia de busca patenteada em 1997, um ano antes de o Google ser estabelecido.

Um porta-voz que o Google considera que o processo não tem base.

"Embora ainda não tenhamos sido intimados, estamos cientes da queixa e acreditamos que seja infundada, com base em nossas investigações iniciais", disse Jon Murchison, porta-voz do Google.

A maior empresa de Internet do mundo tira 99 por cento da sua receita da publicidade online, distribuída aos usuários como resultado das palavras chave que eles usam nas buscas no Google.

Michael Belanger, presidente e co-fundador da Jarg, declarou em entrevista telefônica que a empresa havia descoberto a violação alguns anos atrás, mas não dispunha de recursos para levar adiante um processo até localizar um escritório de advocacia disposto a trabalhar no caso. Quando isso aconteceu, a universidade optou por integrar o processo.

Os queixosos são representados pelo Vinson & Elkins, um escritório de advocacia sediado no Texas mas com clientela global. O processo alega que o Google jamais obteve um parecer jurídico sobre sua possível violação da patente.

Os queixosos querem julgamento por júri e um mandado que impeça novas violações da patente, bem como indenização compensatória e punitiva e royalties pelo período de uso.

(Por Eric Auchard)