Cisco tenta assegurar investidores sobre metas de crescimento

terça-feira, 16 de setembro de 2008 16:18 BRT
 

Ritsuko Ando

NOVA YORK (Reuters) - John Chambers, presidente-executivo da Cisco Systems, tentou atenuar as preocupações de Wall Street quanto aos gastos com tecnologia na terça-feira, mantendo as metas de crescimento de longo prazo de sua empresa a despeito da fraqueza na economia e no setor financeiro dos Estados Unidos.

A principal fabricante norte-americana de equipamento para redes vem projetando crescimento de longo prazo de entre 12 e 17 por cento ao ano para sua receita, mas recentemente caiu abaixo desse patamar. A Cisco previu um crescimento de oito por cento no trimestre em curso e de 8,5 por cento no seguinte.

Chambers disse em reunião com analistas financeiros que a empresa está mantendo sua meta a despeito da recente desaceleração.

"Jamais estivemos mais confortáveis com nossa projeção de crescimento em longo prazo de 12 a 17 por cento anuais", disse Chambers em sua apresentação, que foi transmitida pela Web, acrescentando que o foco da Cisco no desenvolvimento de novas tecnologias está começando a dar frutos.

Embora a empresa seja mais conhecida por vender roteadores e comutadores, nos últimos anos ela se expandiu para o segmento de software e de novas tecnologias, tais como videoconferências e virtualização de centrais de processamento de dados.

"Agora começaremos a ver literalmente onda atrás de onda, não só de tecnologias avançadas mas de prioridades de integração de funções, cada uma das quais tem o potencial de render um bilhão de dólares em prazo relativamente curto, de três a cinco anos. E diversas delas, em prazo mais longo, têm o potencial de atingir os 10 bilhões de dólares", disse o executivo.

Chambers declarou que a Cisco continuar a ampliar sua carteira de tecnologias e que garantiria que diversos produtos -como hardware, software e serviços- se integrassem e complementassem.

"Embora ainda possa haver altos e baixos nas economias mundiais, nós os consideramos todos como solavancos temporários", ele disse, acrescentando que a Cisco seria capaz de transpor essas dificuldades.

(Por Ritsuko Ando)