Para Previ, Anatel vai na contramão do setor

sexta-feira, 20 de junho de 2008 18:19 BRT
 

Por Denise Luna

COSTA DO SAUÍPE, Bahia (Reuters) - A proposta da Anatel de separar a banda larga dos serviços de telefonia fixa vai na contramão da tendência de convergência do setor e, se for aprovada, poderá obrigar a uma nova avaliação da venda da Brasil Telecom para a Oi, disse o presidente da Previ, Sérgio Rosa, ressaltando que o negócio "tem 99 por cento de chance de sair".

Ele lembrou que, se a operação não ocorrer até dezembro, a Oi, da qual a Previ também tem participação, terá que pagar uma multa de quase 500 milhões de reais para a Brasil Telecom, segundo o acordo celebrado entre elas em abril.

O fundo de pensão é um dos controladores da Brasil Telecom, junto ao Citigroup e a outros fundos de pensão de estatais.

"A Oi correu um risco...é um risco normal para obter a promessa de venda dos controladores em uma situação em que o cenário não estava aberto para isso", disse Rosa a jornalistas nesta sexta-feira.

Ele disse compartilhar com a avaliação de que a separação dos dois serviços limitaria os ganhos das empresas, mas entende a posição da agência reguladora do setor de tentar preservar a competição do mercado, o que, entretanto, poderia ser feito por outro caminho, na sua opinião.

"É difícil ficar regulando isso por tecnologia, cada vez mais as empresas oferecem pacotes integrados, a tendência tem sido a convergência dessas coisas... se você dividir pode estar um pouco na contramão do investimento", afirmou.

Ele se disse otimista com a conclusão da operação no prazo e negou que, se a separação de serviços for aprovada, a compra seria imediatamente suspensa.

"Não acredito que seja suficiente para dar para trás, não ouvi das empresas nenhuma análise de que isso seria suficiente para dar para trás", afirmou.   Continuação...