Sites de execuções de hipoteca na Web aumentam público

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008 17:02 BRST
 

Por Michele Gershberg

NOVA YORK (Reuters) - No passado, a execução de hipotecas representava um mercado para investidores mais agressivos, mas hoje em dia até simples compradores de moradia podem procurar imóveis à venda por preços modestos em diversos sites dos Estados Unidos.

Grandes sites imobiliários como o PropertyShark.com e o RealtyTrac.com destacam o crescente número de imóveis norte-americanos em estágio de pré-execução de hipotecas, acrescentando fotos ou imagens aéreas das casas e eliminando a necessidade de vasculhar documentos judiciais.

Em alguns casos, eles oferecem os telefones dos proprietários e as datas de execução judicial.

Em março, o Yahoo Real Estate criou um site abrangente para hipotecas em execução, com o apoio do RealtyTrack, o que expandiu o alcance desses dados para seus quase 500 milhões de usuários em todo o mundo.

"O objetivo para você como investidor é adquirir um imóvel por valor pelo menos 20 por cento inferior ao de mercado, se bem que negócios ainda melhores sejam frequentemente possíveis", informa o site do Yahoo aos desprevenidos.

Talvez a mudança mais significativa seja o fato de que compradores comuns de imóveis estejam mais dispostos a usar sites como esses, e hesitem menos em aproveitar os infortúnios financeiros de terceiros.

O número de oportunidades que encontrarão será muito maior, já que o índice de execução de hipotecas por inadimplência subiu em 80 por cento em 2007, comparado ao ano anterior.

"As coisas são como são. Não vou dizer o contrário", afirmou Bill Staniford, sócio do PropertyShark. "Temos um completo colapso acontecendo, que vai do topo do governo às corretoras de empréstimos hipotecários. Há muita culpa a ser distribuída, mas quanto mais pessoas estiverem participando desse mercado, melhor se sairão os proprietários dos imóveis."

Os possíveis compradores também estão começando a se envolver mais cedo no processo, e encontrando maneiras de conversar diretamente com os proprietários inadimplentes, em lugar de esperar pelos leilões nos quais os imóveis cujas hipotecas foram executadas são vendidos.

Segundo Staniford, "muita gente fica obcecada com os leilões das casas confiscadas. Mas a maioria das transações acontece antes do leilão".