Sony diz que eletrônicos dos EUA não foram afetados pela crise

terça-feira, 11 de dezembro de 2007 13:02 BRST
 

Por Kiyoshi Takenaka

TÓQUIO (Reuters) - As operações de artigos eletrônicos da Sony no mercado dos Estados Unidos não foram afetadas pelos abalos econômicos, e a empresa continua a caminho de registrar margem de lucro operacional da ordem de cinco por cento no ano fiscal que se encerra em 31 de março, disse o presidente-executivo Howard Stringer.

As operações de eletrônicos respondem por quase três quartos das vendas totais da Sony, enquanto a meta de uma margem de lucro de cinco por cento vem sendo considerada como o mais visível dos indicadores de sucesso nos esforços de Stringer para reverter a situação da empresa.

A economia "não afetou os eletrônicos nos EUA. Estamos nos mantendo firmes," disse Stringer a um grupo de repórteres em uma reunião na terça-feira.

A Sexta-Feira Negra, ou o dia posterior ao feriado de Ação de Graças, é considerada como a abertura oficial da temporada de compras de festas nos EUA.

Stringer disse acreditar que o serviço de conteúdo online do PlayStation 3, PlayStation Network, se tornará um dos maiores propulsores de crescimento da Sony, à medida que expande suas ofertas.

"A PlayStation Network, no ano que vem, nos colocará na linha de fogo contra a Apple e a Microsoft ", disse Stringer.

Tanto Microsoft quanto Apple já oferecem serviços de download para entretenimento não relacionado a videogames, como programas de TV, enquanto a PlayStation Network, da Sony, por hora oferece apenas software de videogame e videoclipes promocionais relacionados aos jogos.

O PS3 ficou muito para trás do Nintendo Wii em termos de vendas, desde que ambos foram lançados, um ano atrás, devido ao alto preço da máquina da Sony e à escassez de títulos atraentes, no estágio inicial.

Mas a demanda pelo PS3 vem demonstrando sinais de elevação, desde que a empresa reduziu seus preços e lançou nova versão do console, nos últimos meses.

A Sony está envolvida em uma batalha com a Microsoft e a Nintendo pelo controle do mercado mundial de videogames, e concorre com a Samsung Electronics e a Sharp no mercado de televisores de tela plana.

 
<p>O presidente-executivo da Sony, Howard Stringer, fala durante encontro em T&oacute;quio. As opera&ccedil;&otilde;es de artigos eletr&ocirc;nicos da Sony no mercado dos EUA n&atilde;o foram afetadas pelos abalos econ&ocirc;micos, e a empresa deve registrar margem de lucro operacional de cinco por cento no ano fiscal findo em 31 de mar&ccedil;o, disse Stringer. Photo by Yuriko Nakao</p>