DAVOS-Murdoch diz que não libera todo conteúdo do Journal na web

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008 18:20 BRST
 

Por Ben Hirschler

DAVOS, Suíça (Reuters) - O executivo-chefe da News Corp, Rupert Murdoch, disse na quinta-feira que não vai liberar gratuitamente todo o conteúdo do Wall Street Journal na Internet.

Semanas depois de ser comprada pela News Corp por 5,6 bilhões de dólares, a empresa Dow Jones & Co, que edita o Journal, começou a abrir o acesso a alguns itens antes pagos. Mas, em uma mesa-redonda no Fórum Econômico Mundial, Murdoch disse que continuarão existindo limites.

"Estamos meio que dividindo isso. Essas coisas que você recebe mais ou menos como uma commodity em diferentes sites de finanças, essas certamente serão grátis no Wall Street Journal", disse ele.

"O [material] realmente especializado, contendo as melhores idéias, esse continuará sendo um serviço para assinantes."

A nova estratégia para a Internet é um dos primeiros sinais visíveis de como Murdoch está colocando sua marca no Journal depois da aquisição, o que causou preocupações em alguns círculos com relação ao futuro da publicação.

Como parte da nova oferta de conteúdo gratuito do site do Journal, há vídeos do canal Fox, que também pertence à News Corp. O site www.WSJ.com é um dos mais bem-sucedidos negócios por assinatura na Internet, a um preço anual de 99 dólares.

Analistas do setor estão atentos às novidades no respeitado jornal, por causa das suas implicações para a mídia como um todo, onde cresce a pressão para que os veículos cedam conteúdo on-line.

As manobras de Murdoch devem ser particularmente acompanhadas por executivos do Financial Times, da Pearson Plc., que também tem um site por assinaturas. No final de 2007, a Pearson adotou um novo modelo de negócios pela Internet, dando acesso gratuito a parte do material do jornal.