21 de Novembro de 2007 / às 13:44 / em 10 anos

Militantes usam Web para treinamento online, dizem especialistas

Por Louis Charbonneau

WIESBADEN, Alemanha (Reuters) - A Internet tornou-se uma importante ferramenta de ensino para os militantes islâmicos, que a estão usando para instruir recrutas em campos de treinamento online, disseram especialistas em crime e segurança na quarta-feira.

Gabriel Weimann, especialista em segurança israelense e professor da Universidade de Haifa, em Israel, e da Universidade de Mainz, na Alemanha, disse que os militantes costumavam conduzir todo o seu treinamento em campos secretos localizados em países como o Afeganistão.

“Agora eles se reúnem no ciberespaço”, disse Weimann em conferência sobre a segurança na Internet, na sede da polícia federal alemã (BKA).

Ele afirmou que sites e salas de chat são usados por grupos islâmicos militantes como a Al Qaeda não só para disseminar propaganda como para propósitos educacionais.

“Eles ensinam as pessoas a se tornarem terroristas, online”, disse Weimann. “A Al Qaeda lançou um site com informações práticas sobre como usar armas, executar um sequestro e fabricar bombas usando fertilizantes.”

Os insurgentes iraquianos também estão usando imagens de satélite disponíveis para o público no site Google Earth a fim de localizar alvos para seus ataques, disse Weimann.

Outro aspecto perturbador do cibertreinamento é que crianças podem ficar expostas a idéias islâmicas militantes disseminadas pela Internet.

Weimann, que vem estudando o uso de sites pelos militantes há quase uma década, exibiu imagens de um vídeo veiculado na Internet que mostrava crianças reproduzindo como brincadeira a decapitação de Nicholas Berg, um empreiteiro norte-americano que trabalhava no Iraque.

Acredita-se que Berg tenha sido decapitado pelo líder da Al Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, que foi morto posteriormente pelas forças de ocupação norte-americanas.

Joerg Ziercke, presidente da BKA, disse que o volume de atividade criminosa está crescendo em ritmo alarmante na Internet.

“Em 2006, a polícia registrou 165 mil casos de crime que envolviam o uso da Internet, cerca de 40 por cento acima do total do ano anterior”, afirmou ele.

Tais crimes incluem “distribuição de pornografia infantil, crime organizado, crimes econômicos, espionagem industrial e mesmo planejamento de atos terroristas”, disse Ziercke.

Outro fator que dificulta a ação de autoridades é o aumento no uso de redes sem fio WiFi. Criminosos e militantes podem frequentemente aproveitar o sinal de redes desprotegidas de outras pessoas, obtendo com isso um maior nível de anonimidade, disse.

Ziercke reiterou pedido para a Alemanha permita a varredura online de computadores de suspeitos por meio de programas espiões.

Esse tipo de atividade é ilegal na Alemanha, onde muitas pessoas têm receio de serem espionadas pela polícia por causa da história do país que sofreu com o nazismo e sua polícia secreta, a Gestapo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below