Executivo da aQuantive lidera Microsoft na publicidade online

sexta-feira, 19 de outubro de 2007 15:53 BRST
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - A Microsoft anunciou que a aquisição da aQuantive por seis bilhões de dólares vai complementar sua tecnologia de publicidade na Internet e torná-la tão competitiva quanto a do Google nesse mercado.

A compra da empresa de publicidade online, em agosto, posiciona a Microsoft como uma das poucas empresas com dinheiro e tecnologia necessários para se tornar uma das grandes forças em um setor que deve movimentar 80 bilhões de dólares em 2010, disse Brian McAndrews, ex-presidente-executivo da aQuantive e agora responsável pelos esforços da Microsoft no ramo.

"Nosso objetivo é levar o setor a mover parte significativa de seu faturamento por nossa tecnologia, nossa ferramenta", afirmou McAndrews à Reuters durante a Web 2.0 Summitt, realizada esta semana em San Francisco. "Todas as partes do nosso negócio serão maiores e mais lucrativas."

A tecnologia Atlas, da aQuantive, permite que anunciantes e produtores de conteúdo comprem e vendam publicidade em formato digital.

A Microsoft ainda precisa desenvolver a capacidade de vender publicidade "contextual", dirigida a visitantes específicos de um site, mas McAndrews espera que essa capacidade possa ser introduzida no ano que vem, o que propiciaria um pacote completo de ferramentas publicitárias.

McAndrews serve de líder a um grande esforço da Microsoft para desenvolver tecnologia de publicidade na Internet. Ameaçada pelo Google, a empresa está trabalhando para construir um negócio firme que sirva de fonte primordial de receita, na companhia de seu software Windows e Office.

A Microsoft fez a sua maior aquisição ao tomar o controle da aQuantive, e entregou a direção de seus negócios publicitários a McAndrews. Ele ocupa a 11a posição no ranking dos "50 executivos mais importantes do momento" da revista Business 2.0, adiante até mesmo de seus chefes na Microsoft, entre os quais o presidente-executivo Steve Ballmer e o presidente do conselho Bill Gates.

(Por Daisuke Wakabayashi e Michele Gershberg)