AMD tem prejuízo trimestral abaixo do esperado por analistas

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 12:49 BRST
 

Por Duncan Martell

SAN FRANCISCO (Reuters) - A AMD, segunda maior fabricante mundial de microprocessadores para computador, anunciou aumento do prejuízo trimestral devido a encargos com uma aquisição. Ainda assim, o resultado, divulgado na noite de quinta-feira foi melhor que o esperado.

A AMD registrou encargos de 1,68 bilhão de dólares relacionados à compra da fabricante de chips gráficos ATI, mas anunciou que seus negócios principais melhoraram, devido aos preços médios mais altos de chips, ao corte de custos e ao volume recorde de embarques de microprocessadores.

O medo de uma recessão nos Estados Unidos vem causando desânimo quanto às ações de tecnologia esta semana, especialmente depois dos resultados decepcionantes anunciados pela maior rival da AMD, a Intel, líder do setor.

A AMD informou esperar que a receita no atual trimestre caia em relação ao precedente em resposta a efeitos sazonais, e não por uma desaceleração da economia norte-americana.

A AMD teve prejuízo líquido no quarto trimestre de 1,77 bilhão de dólares, ou 3,06 dólares por ação, ante resultado negativo de 576 milhões de dólares, ou 1,08 dólar por ação, no mesmo período em 2006.

O faturamento ficou estável em 1,77 bilhão de dólares, ante expectativa média de analistas de receita de 1,79 bilhão de dólares.

Excluídos itens extraordinários, o prejuízo por ação da AMD no quarto trimestre ficou em 0,17 dólar por ação. Nessa base, de acordo com a Reuters Estimates, analistas previam prejuízo de 0,32 dólar por ação.

A AMD enfrentou dificuldades em 2007 e teve de adiar os primeiros embarques de um novo e importante microprocessador, enquanto a rival Intel se recuperava de tropeços de 2005 e 2006.

O resultado da AMD foi divulgado dias depois que a Intel anunciou aumento de 51 por cento no lucro do quarto trimestre e simultaneamente deu uma previsão cautelosa para o primeiro trimestre, em meio a preocupações com uma possível recessão nos EUA.

Contudo, a Intel, como a AMD, disse que não viu sinais de desaceleração no quarto trimestre, e que ainda não notou qualquer sinal de queda na demanda neste início de ano.