Gasto para universalizar banda larga é de R$2,5 bi, diz ministro

terça-feira, 13 de novembro de 2007 23:30 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Brasil terá de gastar pelo menos 2,5 bilhões de reais nos próximos três anos para levar a Internet de banda larga a todo o país como pretende o governo, afirmou o ministro das Comunicações, Hélio Costa.

Ele destacou que o projeto de trocar os Postos de Serviços de Telecomunicações por infra-estrutura de banda larga custaria cerca de 1 bilhão de reais em investimentos das empresas do setor de telecomunicações.

"Se conseguirmos acertar com as empresas a substituição dos PSTs, vamos cobrir 80 por cento do território nacional. Com mais o crescimento do sistema G-SAC, chegaremos a 90 por cento do território nacional", disse o ministro a jornalistas no Rio.

"Só ficarão de fora algumas comunidades interioranas que não estão no projeto, porque precisamos fazer chegar a estrutura de energia elétrica", acrescentou.

Segundo Costa, há possibilidade do governo entrar com parte do dinheiro necessário para a troca dos Postos por infra-estrutura de banda larga. "E também há um comprometimento do governo federal de fazer obra de infra-estrutura nas cidades para instalação da banda larga", disse.

O ministro participou do Fórum de Governança na Internet, promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Costa disse que o governo cogita a possibilidade de utilizar as redes de transmissão de energia elétrica como suporte para cabos de fibra ótica bem como fazer a passagem de cabos de banda larga por oleodutos e gasodutos operados pela Petrobras.

"O que tentamos indicar é que existem instrumentos técnicos capazes de cobrir o Brasil inteiro com uma estrutura de Internet de alta velocidade. O governo pode facilitar, ajudar e quer boa relação com as empresas de telecomunicação, mas o governo não é a empresa que vai fazer", destacou Costa.

(Por Rodrigo Viga Gaier)