Ações do Yahoo despencam depois que Microsoft retira oferta

segunda-feira, 5 de maio de 2008 13:23 BRT
 

Por Tiffany Wu e Michele Gershberg

NOVA YORK (Reuters) - As ações do Yahoo caíram em mais de 20 por cento na segunda-feira, depois que a Microsoft retirou sua oferta de aquisição de 47,5 bilhões de dólares, reduzindo em 7,6 bilhões de dólares a capitalização de mercado da empresa de Internet e aumentando a pressão sobre seus líderes.

Depois da retirada, o Google, líder das buscas na Internet, parecia posicionado para colher os frutos do acordo frustrado, que poderia ter resultado em uma das maiores fusões no setor de tecnologia e poderia ameaçar a firme expansão do Google na Web.

As ações da Microsoft subiram em 2,6 por cento devido ao alívio dos investidores por a empresa ter evitado um pagamento excessivo pelo Yahoo, enquanto as do Google subiam em 2,2 por cento.

"O fim das negociações entre Microsoft e Yahoo elimina, por enquanto, o risco de um concorrente online poderoso para a publicidade do Google", escreveram George Askew e Scott Devitt, da Stifel Nicolaus, em nota de pesquisa. Eles elevaram sua meta de preço para as ações do Google de 610 para 675 dólares.

O Yahoo vem testando uma parceria publicitária que daria ao rival Google parte de sua publicidade vinculada a buscas. Embora alguns observadores de Wall Street considerem que isso seja uma possível saída para o Yahoo, a idéia também representaria novos benefícios para o Google.

O colapso das negociações entre Steve Ballmer, presidente-executivo da Microsoft, e Jerry Yang, presidente-executivo do Yahoo, levou as corretoras de Wall Street a reduzir suas recomendações e metas de preço para as ações do Google, cuja cotação potencial estava estimada em 37 dólares apesar do máximo de 33 dólares que a Microsoft propôs em sua oferta revisada.

As ações do Yahoo haviam fechado em 19,31 dólares em 31 de janeiro, um dia antes que a Microsoft anunciasse sua oferta não solicitada pela empresa. Yang, um dos fundadores do Yahoo, controla cerca de quatro por cento da companhia.

Os analistas esperam processos de acionistas contra os executivos do Yahoo, enquanto o grupo de Internet pioneiro tenta desenvolver possíveis acordos com outras empresas de mídia e Internet, como a America Online, da Time Warner .