Devoluções custam bilhões de dólares anuais a fabricantes

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008 12:20 BRST
 

Por Nicole Maestri

LAS VEGAS (Reuters) - As devoluções de produtos que não são fáceis de conectar com outros aparelhos ou não funcionam como os consumidores esperavam está custando a fabricantes, operadoras de telecomunicações e grupos de varejo quase 14 bilhões de dólares ao ano nos Estados Unidos, de acordo com a consultoria Accenture.

Na Consumer Electronics Show, a maior feira do setor de eletrônica, as grandes empresas de tecnologia estão exibindo seus mais novos e reluzentes aparelhos. Muitas delas estão demonstrando maneiras pelas quais consumidores podem conectar tecnologias dispares -como televisores, celulares e a Internet.

A idéia, conhecida como convergência, foi concebida para tornar a vida dos consumidores mais fácil à medida que a presença da tecnologia se expande.

Mas em lugar disso, disse Allen Delattre, diretor executivo mundial da Accenture em entrevista na terça-feira, muitos consumidores estão devolvendo seus novos aparelhos às lojas, alegando que não funcionam.

"Caso decodifiquemos a mensagem, eles estão dizendo que o aparelho não funciona como queriam", ele disse sobre os verdadeiros motivos para a devolução de produtos às lojas.

Essa distância entre aquilo que os fabricantes promovem e a experiência concreta dos consumidores significa que os fabricantes de bens eletrônicos de consumo, operadoras de telecomunicações e grupos de varejo de eletrônica gastarão um total estimado em 13,8 bilhões de dólares, nos EUA.

Tudo isso para avaliar, reparar, reembalar, reconduzir aos estoques e revender produtos devolvidos, segundo a Accenture.

Mas a empresa constatou também que mais de dois terços do volume de devoluções recebe a classificação "sem problemas encontrados," o que significa que a devolução aconteceu porque o produto não atendeu às expectativas do consumidor, ou este considerou que o aparelho estivesse quebrado mas a loja não encontrou defeito.   Continuação...