"Modder" faz de hobby uma carreira como freelancer

quinta-feira, 27 de março de 2008 12:28 BRT
 

Por Scott Hillis

SAN FRANCISCO (Reuters) - Se você um dia imaginou que seria bom ter um laptop Xbox ou desejou que os velhos jogos de Atari guardados no sótão renascessem em um aparelho portátil retrô, deveria procurar Benjamin Heckendorn.

Mais conhecido como Ben Heck, ele conquistou status legendário entre os "modders," adeptos de hobbies que mexem no hardware de videogames a fim de fazer coisas que os projetistas originais jamais previram.

Os sites de tecnologia na Web acompanham com entusiasmo os mais recentes projetos de Heckendorn, 32, em geral caracterizados por uma qualidade de trabalho que faz com que suas peças pareçam produzidas em uma fábrica, e não em uma oficina instalada no porão.

"É assim que se faz nos Estados Unidos, certo? Você começa no porão, na garagem. Teoricamente o ideal é sair de lá um dia, mas ocasionalmente ainda tenho de trabalhar ao som de minha secadora de roupa," disse Heckendorn em entrevista.

Ele começou oito anos atrás, quando decidiu mexer com um velho Atari 2600 -- o console clássico que popularizou os videogames domésticos ao ser lançado, em 1977 -- e terminou por recriá-lo em forma portátil.

"Fiquei chocado, achei que ninguém ligaria para isso, mas as pessoas gostaram," disse Heckendorn.

De fato, gostaram tanto que começaram a lhe oferecer somas consideráveis para transformar seus queridos aparelhos de videogame em peças únicas, de coleção.

"Ben Heck é basicamente o melhor. As modificações dele são tão profissionais quanto um produto que se possa comprar na Best Buy. Isso é o que o destaca dos demais inventores de garagem," disse Adam Frucci, um dos editores do popular blog de tecnologia Gizmodo, que acompanha muitas das criações de Heckendorn.   Continuação...