Acionistas querem julgamento imediato para o Yahoo

terça-feira, 10 de junho de 2008 14:28 BRT
 

Por Martha Graybow

NOVA YORK (Reuters) - Os acionistas que estão processando o conselho do Yahoo desejam que o caso vá a julgamento antes da assembléia anual de acionistas da empresa, em 1o de agosto, para contestar um plano de indenização por demissões de funcionários que, segundo alegam, representou obstáculo para a fusão entre a empresa e a Microsoft .

Advogados que representam dois fundos de pensões envolvidos em processo contra a companhia de Internet devido à sua rejeição de uma oferta de aquisição de 47,5 bilhões de dólares apresentada pelo grupo de software Microsoft alegam, em documentos judiciais, que seu processo "é o único veículo" para a contestação ao plano de indenização.

Os queixosos alegam que o esquema de indenização é apenas uma manobra para tornar qualquer aquisição do Yahoo proibitivamente dispendiosa.

Caso o bilionário Carl Icahn, que está envolvido em uma batalha pelo controle do conselho do Yahoo, consiga uma vitória, o Yahoo pode ter de enfrentar até 2,4 bilhões de dólares em possíveis indenizações a funcionários demitidos, eles argumentam.

O plano de indenização do Yahoo oferece melhores benefícios, indenização em dinheiro e exercício acelerado de opções de ações a qualquer funcionário demitido ou que deixe a companhia voluntariamente por ter seu papel reduzido depois de uma fusão ou mudança no controle do grupo, segundo os queixosos.

O Yahoo defendeu o plano como forma de garantir que sua equipe de funcionários talentosos, um dos ativos essenciais da empresa em qualquer transação, não seja atraída por concorrentes antes de uma venda.

A empresa continua envolvida em discussões com a Microsoft, mas executivos do Yahoo descreveram esses contatos como concentrados em um acordo alternativo ou parceria.

"Um julgamento em julho quanto à validade dos planos de indenização é imperativo, para os acionistas do Yahoo", disseram advogados dos fundos de pensão em documentos apresentados a um tribunal do Delaware.

"O tribunal deve decidir sobre a contestação dos queixosos aos planos de indenização antes que aconteça a próxima eleição para o conselho, e assim antes que quaisquer danos se tornem irreparáveis", escreveram os advogados dos queixosos.